Anti-inflamatórios: Tómatelos a sério

Este tipo de medicamentos, tão comuns para todos, devem ser consumidos com o mesmo respeito que qualquer outra droga, porque também pode acarretar efeitos colaterais se não seguir as orientações adequadas.

Os medicamentos conhecidos como anti-inflamatórios não-esteróides (AINEs) são um grupo muito grande de fármacos utilizados para tratar doenças que cursam com dor, inchaço e/ou febre, como são as dores de cabeça, doenças reumáticas, dor ciática ou dores menstruais, entre outros.

Pode-Se dizer que são os “clássicos” do kit, do saco ou da gaveta da mesa. Há diferentes tipos e doses, e são usados por crianças e adultos, daí que sejam os medicamentos mais vendidos em todo o mundo.

Mas são vendidos sem receita médica, isso não significa que possamos utilizar os anti-inflamatórios sem nenhum controle, como se faz em algumas ocasiões. Quem não o tomou quando lhe dói a cabeça ou o ombro, sem consultar um profissional de saúde? Certamente não o estiver fazendo errado, mas não se deve passar por alto do que se tratam de medicamentos e, como tais, podem causar efeitos colaterais, interagir com outros fármacos que estamos a tomar ou ser a origem de um problema de saúde, se tomados de forma excessiva.

Tomada adequada

Apesar de seus efeitos positivos se destacam mais que os adversos –já que estes últimos não se dão em um percentual elevado de pessoas– é necessário ressaltar que uma ingestão inadequada pode causar problemas no aparelho digestivo e respiratório, no sistema nervoso e nos rins, na pele e nos componentes do sangue.

As altas doses de anti-inflamatórios não proporcionam mais eficiência no tratamento da dor leve ou moderada, tal como ressaltaram os especialistas que participaram, em junho passado no XXXII Congresso da Sociedade Espanhola de Medicina de Família e Comunitária. “Com os dados de que dispomos, não há nenhuma razão científica para recomendar, em termos de relação eficácia/segurança, o uso desses medicamentos, a dose de 600 mg em frente ao de 400 mg para dor leve-moderado”, explicou o Dr. Julio Pascoal, da área de neurociência do Serviço de Neurologia do Hospital Universitário Central de Astúrias. É uma consideração importante, já que, na Espanha, três de cada dez pessoas tomam doses diárias de anti-inflamatórios superiores às recomendadas. Além disso, aqueles que se automedican costumam preferir tomar um comprimido de anti-inflamatórios de 600 mg, em vez de um de 400 mg, embora este último seja suficiente para a doença de que padecem.

Neste sentido, a Associação Espanhola de Medicamentos e Produtos de Saúde (AEMPS) recomenda o uso de anti-inflamatórios não esteróides em doses baixas (máximo de 1.200 mg por dia) para reduzir o risco de efeitos adversos gastrointestinais e cardiovasculares.

Um cuidado Especial

Os especialistas ressaltam que devem ter um especial cuidado com a toma de anti-inflamatórios não esteróides:

  • As pessoas que tenham sofrido uma úlcera de estômago ou do duodeno.
  • Os pacientes que têm indicado a tomada de outra classe de anti-inflamatórios, porque não se devem empregar de forma simultânea, ou que seguem um tratamento com diuréticos ou anti-coagulantes.
  • Os afectados de insuficiência cardíaca, tensão arterial elevada, cirrose, doença renal ou hepática.
  • As pessoas que tenham sofrido episódios de rinite alérgica, pólipos nasais, asma ou urticária.

Estômago protegido

Os protetores gástricos são projetados para impedir que surja acidez, náuseas ou ardor, reduzir a quantidade de ácido gástrico produzido por certas glândulas do estômago quando se segue um tratamento prolongado com medicamentos “agressivos”, como os anti-inflamatórios. São essenciais, especialmente se você tem algum risco de úlceras gástricas. Normalmente recomenda-se ingerir trinta minutos antes da primeira refeição do dia, tentando que todos os dias seja, à mesma hora.

Como ocorre com os anti-inflamatórios, nos últimos anos tem aumentado o consumo destas drogas, devido à errônea idéia de que há que tomá-los sempre que se tenha indicado um tratamento farmacológico, mas o certo é que apenas se devem tomar quando solicitado pelo médico.

Para evitar riscos de estômago, já começou a difundir o emprego de medicamentos de ação biorreguladora, com princípios ativos de origem vegetal e mineral, eficazes contra a dor e a inflamação, mas que apenas causam efeitos colaterais.

Twitter

Pelo menos 3 lácteos por dia

A comunidade científica recomenda consumir pelo menos 3 lácteos por dia. INLAC promove o consumo de produtos lácteos entre as mulheres grávidas.

  • A Organização Interprofissional Láctea (Inlac) e a Comissão Europeia promovem a presença do leite e dos produtos lácteos no dia-a-dia das mulheres grávidas através de uma ambiciosa campanha de divulgação entre as parteiras
  • A campanha informa sobre os vários nutrientes que o leite e outros produtos lácteos fornecem tanto para as gestantes como para as crianças


(dez 18)
A Organização Interprofissional Láctea (Inlac) e a Comissão Europeia estão executando uma ambiciosa campanha de divulgação entre a comunidade de Investimentos, informando a estas importantes prescriptoras sobre os vários nutrientes que o leite e outros produtos lácteos fornecem tanto para as gestantes como para as crianças. Uma informação que parece completada com uma série de dicas para adotar hábitos alimentares saudáveis e um estilo de vida mais ativo.

No âmbito desta ação permanente, que se vem desenvolvendo desde o mês de março até dezembro de 2018, são dadas 1.800 kits de informações entre parteiras e 1.700 entre enfermeiras pediátricas com o objetivo de recomendar o consumo de produtos lácteos, especialmente entre mulheres, grávidas e crianças.

Como tem lembrado os responsáveis INLAC, durante o mês de outubro teve lugar o congresso da Federação de Associações de parteiras de Portugal (FAME), fórum em que se divulgou esta informação entre os profissionais participantes.

A campanha de divulgação também tem estado presente em todos os três números anuais da Guia Conselhos de sua Parteira dirigida a mulheres grávidas, uma publicação que é distribuído em centros de preparação para o parto, consultas de ginecologia e obstetrícia, hospitais e clínicas. “Com esta ação, conseguimos impactos de qualidade, uma vez que é a própria parteira ou médico-ginecologista, que a entrega aos seus pacientes. Cerca de 210.000 exemplares espalhados por ano”, foram avaliados a partir da Interprofissional.

Nesta Guia de dicas recomenda-se consumir entre dois e quatro porções de leite diários, tanto de leite como de seus derivados como o queijo fresco e iogurte, cuja composição nutricional é semelhante à do leite, já que o cálcio é muito importante para o desenvolvimento do esqueleto da criança.

“Entre meio e um litro de leite por dia é a quantidade adequada, computando-consumo líquido”, acrescenta este Guia, que aponta ainda que o queijo fresco e iogurte podem ser consumidas na quantidade que se deseja, enquanto que a ingestão de queijos curados, que multiplicam o seu valor calórico em relação aos frescos, deve ser mais limitado.

De acordo com os médicos especialistas, é possível a ingestão recomendada de cálcio para consumir entre dois e quatro porções de produtos lácteos por dia, com carácter geral. O ideal é ingerir entre 2 e 3 porções se falamos de crianças e adultos e entre 3 e 4 no caso de grávidas, lactantes, adolescentes, atletas e idosos, especificam.

Através do “Programa de promoção do leite e dos produtos lácteos no âmbito de práticas dietéticas adequadas”, a Organização Interprofissional Láctea (Inlac) e a Comissão Europeia dão uma resposta à necessidade de promover a presença do leite e dos produtos lácteos no dia dos espanhóis, além de promover a atividade física como estratégia frente aos problemas de saúde relacionados com a alimentação, excesso de peso e obesidade.

www.lacteosdiquesi.eu

(*)O conteúdo do presente documento representam unicamente a opinião de seu autor e é de responsabilidade exclusiva do mesmo. A Comissão Europeia não assume qualquer responsabilidade pelo uso que possa ser feito da informação que contém.

Twitter

Chá verde para emagrecer: o Nova moda? Como Funciona?


A tarefa de perder peso é difícil, e é por isso que muitos buscam facilitar o caminho consumindo suplementos.


O extrato de café verde é um deles e, atualmente, um dos mais populares do mundo. Como o seu nome indica, é extraído dos grãos de café verde e contém uma substância chamada ácido clorogénico, a qual é supostamente responsável por seus efeitos sobre a perda de peso.


Este extrato foi promovido pelo Dr. Mehmet Cengiz Öz (médico norte-americano conhecido por suas aparições televisivas, e um dos “gurus” da saúde mais conhecidos) em 2012.


Mas a verdade é que a maioria dos suplementos para perder peso nunca funcionam como promete. Assim, é hora de dar uma olhada detalhada no extracto de café verde para ver como funciona e o que diz a ciência sobre ele.


O que são os grãos de café verde?


Os grãos de café verde são basicamente os grãos de café torrado. O café é naturalmente verde, mas geralmente brindado antes de ser colocado no mercado e nesse processo o obscurece.


Os grãos de café estão cheios de antioxidantes e componentes farmacológicos activos. Dois dos mais importantes são a cafeína e o ácido clorogénico.


Este último é o principal ingrediente ativo em grãos de café verde, ou seja, a substância que torna efetiva a perda de peso (1).


Infelizmente, a maioria do ácido clorogénico, se perde uma vez que o grão de café é torrado (2). Assim, os grãos regulares de café não tem o mesmo efeito (ainda há muitas boas razões para beber café).


Resumindo: os grãos de café verde são os mesmos, exceto que não foram torrados. Possuem um alto conteúdo de ácido clorogénico.


Como funciona o extrato de café verde?


Os grãos de café verde contém uma certa quantidade de cafeína. E vários estudos têm mostrado que a cafeína pode acelerar o metabolismo entre 3 e 11 % (3).


No entanto, o principal ingrediente ativo, acredita-se, é o ácido clorogénico. Alguns estudos em humanos sugerem que pode reduzir a absorção de carboidratos no trato digestivo, o que baixa o nível de açúcar no sangue e os picos de insulina (4).


Se isto é assim, tomar extrato de café verde seria o mesmo que consumir uma dieta ligeiramente baixa em carboidratos.


Outros estudos (em ratos) sugerem que o ácido clorogénico, pode-se reduzir o peso corporal, a gordura absorvida da dieta e a gordura armazenada no fígado, além de melhorar as funções do hormônio “queima-gorduras”, a adiponectina (5).


O ácido clorogénico, também provou ser útil para melhorar os níveis de colesterol e triglicerídeos em ratos (6).


Resumindo: o chá verde inibe a subida de peso em estudos em animais. É provável que isso tenha a ver com uma menor absorção de carboidratos da dieta, ou através de outros mecanismos.


O que dizem os estudos em humanos?


Um dos estudos realizados em humanos sobre o extrato de café verde incluiu a 30 indivíduos com excesso de peso durante 12 semanas.


Se os dividiu em dois grupos: um que consumiu o café instantâneo regular, o outro o café instantâneo enriquecido com 200 mg de extrato de café verde (7). Nenhum dos dois grupos se instruiu para que mudassem seus hábitos de exercício.


O grupo que bebeu o café instantâneo com extrato de café verde perdeu 5,4 quilos, enquanto que o que tomou apenas café instantâneo perdeu 1,7 quilos.


O percentual de gordura corporal também diminuiu 3,6 % no grupo que consumiu o extrato, em comparação com 0,7% no outro grupo.


Outros estudos também relataram uma perda de peso significativa em pessoas que consumiram o extrato de café verde (8).


No entanto, é importante ter em conta que alguns destes estudos não foram separados, mas patrocinados por algumas empresas que comercializam o extrato.


Isso não significa que os estudos não sejam válidos, mas sabe-se que a fonte de financiamento de um estudo pode ter efeitos significativos nos resultados. Por esta razão, é uma boa idéia para ser cético em relação às pesquisas financiadas por indústrias (9).


Enquanto isso, em 2011, uma revisão das evidências por trás do extrato de café verde, concluiu que “os efeitos destes testes são promissores, mas os estudos são de qualidade metodológica pobre. São necessários estudos mais rigorosos para determinar a utilidade do extrato de café verde como ferramenta para perder peso” (10).


Resumindo: vários estudos controlados em humanos mostram que o extrato de café verde pode levar a uma perda significativa de peso. No entanto, estes estudos foram relativamente pequenos e alguns deles foram financiados por indústrias.


Você tem algum benefício extra para a saúde?


O chá verde pode afetar positivamente a maneira em que o corpo absorve e utiliza carboidratos. Confirmando a hipótese elaborada em estudos em animais, o ácido clorogénico, parece reduzir a absorção de glicose (11).


Este efeito pode jogar um papel protetor no manejo do diabetes e explicaria os efeitos no peso.


O extrato de chá verde também pode afetar positivamente os vasos sanguíneos, o que impacta na saúde do coração.


Dose de entre 140-720 mg por dia têm demonstrado diminuir a pressão arterial tanto em ratos como em humanos com pressão arterial elevada (12, 13). E o ácido clorogénico, também funciona como um antioxidante (14).


Resumindo: o extrato de chá verde melhora o metabolismo da glicose e reduz a pressão sangüínea. Isso poderia ser benéfico para pessoas com alto risco de desenvolver diabetes e doenças cardíacas.


Efeitos colaterais, doses e como usá-lo


De acordo com a limitada evidência disponível, o extrato de chá verde parece ser muito seguro.


No entanto, alguns participantes deixaram um estudo devido a dores de cabeça e infecções urinárias (15).


Este estudo foi muito pequeno para provar se esses efeitos foram causados pelo suplemento, poderia ter sido apenas uma coincidência.


O chá verde contém cafeína, que pode ter vários efeitos colaterais, quando consumidos em grandes quantidades. Isso inclui ansiedade, tremores e taquicardia.


Se você é sensível à cafeína, há que ser cuidadoso com o extrato de café verde. O ácido clorogénico, pode ter um efeito laxante e causar diarreia (16).


Algumas pessoas tiveram reações alérgicas aos grãos de café verde (17). E o extrato deve ser evitado se você já teve alergia ao café.


A segurança do chá verde para grávidas ou mulheres em período de amamentação não foi comprovada ainda, e não deve ser consumido por crianças.


Atualmente não há nenhum estudo que determine uma dose ideal para o extrato de café verde. No entanto, os estudos citados neste artigo emplearin doses que variam de 120 a 300 mg de ácido clorogénico.


Dependendo da concentração desta substância no suplemento, o intervalo pode ir, então, de 240 a 300 mg de extrato de café verde por dia.


É recomendável seguir as instruções que acompanham o produto. Uma instrução comum é tomar uma dose meia hora antes de cada refeição.


Para ter em conta


O extrato de chá verde parece ser útil como uma ajuda para perder peso. E também parece ter benefícios para o metabolismo da glicose e a pressão arterial.


No entanto, muitos dos estudos que o demonstram, são pequenos, de curto prazo e geralmente patrocinados por empresas que produzem ou vendem o extrato.


E o certo é que a única coisa que prova ter bons resultados a longo prazo é a mudança de hábitos alimentares. Reduzir os hidratos de carbono e consumir mais proteínas parece ser o caminho mais eficaz, ao mesmo tempo que enfatizam o consumo de alimentos não processados.


De todas formas, o extrato de café verde, talvez, pode valer a pena a tentativa. Talvez tenha um efeito leve, que pode durar semanas ou meses, mas não deve-se esperar muito mais que isso.

Anemia durante a gravidez

A ocorrência de anemia durante a gravidez é um transtorno frecuenteaunque raramente uma complicação séria. Sua incidência varia amplamente segúnel critério usado para o seu diagnóstico.


O que é a doença e quais suas causas?


A anemia é definida como a diminuição da quantidade de hemoglobina ou proteína dos glóbulos rojostransportadora de oxigênio no sangue. Considera-Se que existe anemia duranteel gravidez quando a quantidade desta proteína no sangue é menor de 11 gramospor dl.


A gravidez é uma condição que predispõe auma série de alterações no sangue, principalmente porque aumenta a cantidadde líquido circulante por vasos sanguíneos, o que provoca uma ciertadilución de sangue e os glóbulos vermelhos. As formas leves desta anemia,as mais comuns, são consideradas fisiológicas, e por isso não se lastrata.


A causa mais importante e freqüente de anemiadurante a gravidez é a deficiência de ferro, ou anemiaferropénica.


A anemia ferropénica


Elhierro é um mineral fundamental para a formação da hemoglobina, essa proteína dos glóbulos vermelhos do que o equipamento quando realizar a função de transporte de oxigénio pelo sangue até os diferentes tejidosde da mãe e do bebê. As necessidades de ferro aumentam durante o embarazodebido ao maior volume de sangue circulante, para a formação dos tecidos delbebé e a placenta e as reservas que acumula o feto. As mulheres que nodisponen de reservas adequadas de ferro antes de ser embarazadasnecesitarán um suplemento de ferro para não desenvolver anemia.


Uma dieta equilibrada que inclua uma grande variedade de alimentos em unaproporción correta e adequada durante a gravidez não fornecerá, por logeneral e contra a crença popular, as quantidades de ferro necesariaspara a gestação.


Os alimentos mais ricos em ferro sonlas legumes de folha verde (espinafre), as carnes vermelhas (boi) e losembutidos (morcela), as leguminosas (lentilhas) e o fígado de vitela, corderoo vaca. Também são muito ricos em ferro, as amêijoas, palurdes ou amêijoas e berbigões. Éimportante ter em conta que o ferro proveniente das carnes absorbemejor que o conteúdo dos vegetais.


Muitas veceslos médicos prescrever um suplemento pré-natal de vitaminas e minerais pordesconocer o estado nutricional prévio e o consumo de alimentos da mulher yporque, como aumentam as necessidades, a dieta pode não proporcionelas quantidades necessárias. Gerenciar ferro oral, normalmente, na forma decomprimidos ou ampolas bebíveis, constitui uma das ações preventivas másrelevantes para o controle pré-natal da anemia ferropénica. Habitualmente seprescribe na segunda metade da gravidez. Estes medicamentos produzem confrecuencia intolerância no estômago, náuseas, prisão de ventre e coloraciónoscura das fezes, que convém saber, para não alarmar. Se suelentomar em jejum porque absorvem melhor e, habitualmente, haverá que tomarlosdurante grande parte da gravidez e mesmo depois de dar à luz, se a situaciónasí o aconselha.


Como dizíamos, é o tipo mais comum deanemia durante a gravidez e até 9 de cada 10 mulheres gestantes puedendesarrollarla. Caracteriza-Se, conforme vimos, por uma diminuição de lacantidad de hemoglobina no sangue que pode ser leve, moderada e inclusoelevada.


Consultas almédico


Em nossa seção ” Pergunte ao médico’encontrará consultas relacionadas


Como se manifesta?


São comuns sintomas como o cansaço ou lafatiga, a palidez da pele e de lasmucosas dos olhos e da boca, tonturas, dificuldade para respirar quando hacenesfuerzos moderados ou grandes, palpitações no coração e taquicardia olatidos do coração acelerados.


Repercussões sobre o feto


As anemias leves ou moderadas não costumam produzir repercusionessignificativas sobre o feto, mas no caso de anemia grave (hemoglobina menorde 7 g/dl), o feto pode ser prejudicado e danificado. Verificou-Se que enestos casos aumenta a percentagem deaborto ou parto pré-termo, a mortalidade perinatal,infecções puerperales, etc.


Como é diagnosticado?


O diagnóstico de anemia deficiência de ferro durante a gravidez esrelativamente simples, já que após a realização de uma história clínica da pacientey conhecer seus sintomas e sinais, pode-se solicitar unanálisis de sangue comum, que nos indicará siexiste ou não anemia e, no caso de estar presente, se é produzida por undéficit de ferro ou por alguma outra causa. Habitualmente não são necesariasotras exames complementares.


Você Está grávida?


Siga suembarazo semana asemana


Como se trata este transtorno?


O tratamientode esta alteração é, logicamente, a administração do mineral deficitário, neste caso, o ferro. Costuma-Se administrar em forma de sal ferrosa mediantecomprimidos ou ampolas bebíveis, em geral, desde que se diagnostica laanemia até que se resolve ao longo da gestação e, muitas vezes, também no pós-parto.


Em qualquer caso, e como antesseñalábamos, as medidas preventivas, como uma alimentação correta ysuplementos adicionais de ferro podem evitar o aparecimento deanemia.

Quais são os benefícios do colágeno?

O colágeno é uma proteína que dá estrutura, firmeza e elasticidade da pele, e que é produzida naturalmente pelo corpo, mas que também pode ser encontrada em alimentos como carne e gelatina, cremes hidratantes ou em suplementos alimentares em duas apresentações cápsulas ou em pó.


Esta proteína é muito importante para manter as células firmes e unidas, sendo não só importante para a pele, mas também para outros tecidos como a integridade dos músculos, ligamentos, tendões e articulações, melhorando a saúde dos mesmos.

Colágeno - o Que é e para que serve

Quando devo usar Colágeno:


Os suplementos de Colágeno devem ser usados quando a concentração desta proteína diminui com o corpo, causando sintomas como:



  • Diminuição da espessura de fios de cabelo;

  • Aumento da flacidez e perda da elasticidade da pele;

  • Surgimento de rugas e linhas de expressão;

  • Aparecimento de estrias;

  • Pele fina e seca;

  • Diminuição da densidade dos ossos, como nos casos de osteopenia e osteoporose;

  • Fraqueza das articulações e dos ligamentos.

Quando estes sintomas estão presentes, pode ser necessário a suplementação de colágeno como Flex-n – move em cápsulas ou Fortigel ou Super Collagen em pó, os quais vão ajudar a equilibrar os níveis de colágeno no corpo.


Estes produtos ricos em colágeno podem ser especialmente importantes a partir dos 50 anos de idade, quando ocorre uma redução drástica na produção de colágeno, o que ao longo do tempo leva a uma aparência cada vez mais envelhecida. No entanto, estes produtos só devem ser usados com o acompanhamento de seu médico ou nutricionista, já que muitos suplementos de colágeno hidrolisado apresentam uma combinação de diferentes aminoácidos, vitaminas e minerais.


Principais benefícios do colágeno:


Alguns dos principais benefícios do colágeno para o corpo são:



  • Previne o aparecimento de celulite;

  • Fortalece as unhas;

  • Fortalece o cabelo e melhora sua aparência;

  • Diminui o surgimento de estrias;

  • Aumenta a elasticidade da pele;

  • Previne e retarda o aparecimento de rugas e linhas de expressão.

Além do anterior, o colágeno para dar firmeza à pele, prevenindo o aparecimento de celulite e ajudando no seu tratamento, caso já a tenha, já que com uma pele mais firme, os nódulos de celulite tendem a não aparecer tanto.


Como repor o Colágeno:

Colágeno - o Que é e para que serve

Para repor o colágeno no organismo, pode-se fazer uma alimentação rica neste nutriente, os alimentos com um elevado conteúdo são:



  • Carnes vermelhas;

  • As Carnes brancas;

  • Gelatina.

A melhor forma de combater o envelhecimento e manter a pele bem firme, consumindo diariamente estes alimentos ou ingerir os suplementos alimentares de colágeno hidrolisado em cápsulas, pó ou em comprimidos, que vão ajudar a repor os níveis de colágeno no corpo.


No entanto, é importante consumir o colágeno sempre em conjunto com alimentos ricos em vitamina C como laranja, kiwi, abacaxi ou leitosa, já que esta vitamina é a responsável por permitir a absorção do colágeno no organismo. Por isso recomenda-se ingerir as cápsulas de colágeno ou o pó em conjunto com um suco de laranja ou kiwi, para garantir que o colágeno é devidamente absorvido pelo organismo.


Suplementos de Colágeno (Dermacaps)


Os suplementos de colágeno como o Dermacaps podem ser ingeridos na forma de cápsulas, comprimidos ou em pó, e alguns exemplos são:



  • Flex-n-move: Colágeno em cápsulas que contém em sua composição Ácido Hialurônico, Sulfato de Condroitina;

  • Fortigel: Colágeno em pó com Vitamina C, ácido hialurônico, Vitamina K, Cálcio e Magnésio;

  • Super Collagen de Neocell: suplemento de colágeno em pó.

O Dermacaps, você pode comprar em  lojas de produtos naturais ou em lojas online.


 O tratamento com estes suplementos deve ser feito durante um período mínimo de 9 meses, sendo recomendada uma dose diária máxima entre 8 a 10 g de colágeno. Veja como deve ser feito o tratamento com colágeno hidrolisado em Como tomar Colágeno Hidrolisado.

Abacate: a Gordura saudável

Este fruto tão versátil oferece importantes benefícios nutricionais e dá um toque diferente aos seus pratos. Conte pra testá-lo.

É possível que o seu consumo não seja tão frequente quanto deveria, em nosso país, porque é originário de regiões tropicais, como o México, Colômbia ou Venezuela, mas atualmente também é cultivada na zona da Costa do Sol e das Ilhas Canárias.

Talvez a outra razão pela qual não costumamos adicionar ao carrinho de compra, seja porque é o defeito de ser uma fruta muito calórica. E embora seja verdade que traz gordura, esta é estou apaixonado, como a do azeite de oliva, pelo que o seu consumo moderado de vinho traz benefícios ao organismo. Este mês está em seu melhor momento, então, não perca!

A “manteiga verde”

Embora sua casca é grossa e dura, sua polpa é todo o contrário: apresenta uma consistência macia e mantecosa; daí que os astecas a chamar “a manteiga natural” (ahuacati).

O outro elemento a destacar a sua composição é a semente que está em seu interior, redondo e de cor castanho claro, que é usada em cosméticos para a elaboração de óleos para a pele e o cabelo.

Se você gosta de nozes, você vai adorar o abacate, pois seu sabor é muito parecido com o da noz.

Por que você tem que tomá-lo?

  • É um escudo para o coração: Ao contribuir com uma importante quantidade de gordura estou apaixonado (72% é ácido oleico), ajuda a manter os níveis de colesterol equilibrados, reduzindo o colesterol LDL (o “ruim”) e aumentando o HDL (o “bom”). Sim, por ser bastante calórico, o seu consumo deve ser moderado.
  • É amigo dos músculos e dos nervos: É uma importante fonte de potássio, por isso se favorece a transmissão dos impulsos nervosos e a correta atividade dos músculos. Por outro lado, contém magnésio, que também favorece o bom funcionamento nervoso e muscular, e a manutenção de ossos e dentes.
  • É antioxidante: devido ao seu conteúdo de vitamina E, ajuda a prevenir certas doenças, como as cardiovasculares, degenerativas e até mesmo o câncer.
  • Mantém a tensão à distância: Dentro de seu efeito protetor para o coração, você tem que incluir o que favorece o controle da tensão arterial, uma vez que é pobre em sódio (sal) e rica em potássio, apenas o que precisam as pessoas com hipertensão arterial. Isso sim, aqueles que sofrem de insuficiência renal devem ter cuidado com o seu consumo, para não exceder-se na ingestão de potássio.
  • É ideal na gravidez: O abacate fornece ácido fólico, nutriente que devem tomar, principalmente, para as mulheres que estão pensando em ter um bebê, para que o tubo neural do futuro feto se desenvolva corretamente.
  • Um remédio contra a prisão de ventre: Por ter mais fibras e magnésio, seu consumo provoca um suave efeito laxante.
  • Aliado contra o sol: Contém beta-caroteno, um pigmento que se transforma em vitamina A e protege a pele da radiação solar, enquanto que ativa a melanina e intensifica o bronzeado.

Como escolher melhores?

  1. Procure os abacates que não tenham defeitos na pele.
  2. Há que tentar escolher os que estão em seu ponto de maturação correto. Se, ao pressioná-lo com os dedos se deforma facilmente, é sinal de que o abacate é muito maduro.
  3. Se está no seu ponto e não vai tomar em poucos dias, você deve mantê-na geladeira, na parte menos fria.
  4. Graças ao seu particular textura pode congelar. Para fazer isso, remova a polpa, aplástala, misture com um pouco de sumo de limão e envuélvela com papel filme ou saco de plástico.
  5. Você tem que abri-lo apenas quando você vai consumir, pois a polpa se oxida rapidamente. Se você utilize uma metade, a outra consérvala com o osso, rocíalo com o suco de limão por cima e guarde-a na geladeira em um recipiente hermético ou com papel filme.

É uma boa fonte de ácidos gordos saudáveis.

Twitter

Anemia em idosos

Cansaço com o mínimo de esforço, abatimento, apatia… São sintomas que, em pessoas mais velhas, podem estar anunciando uma anemia por falta de ferro. Atajarla quanto antes é muito importante para evitar que tenha consequências graves.

Falamos de anemia quando a quantidade de glóbulos vermelhos no sangue é menor que o normal, ou quando a concentração de hemoglobina no sangue é baixa.

A anemia ferropénica é a produzida por deficiência de ferro na dieta, e em idosos costuma dever-se a:

  • Uma dieta desequilibrada, que não oferece a quantidade suficiente de vitaminas e ferro, muitas vezes associada a dificuldades para alimentar-se normalmente por um mau estado da dentição.Tenhamos em conta que, para que se produzam quantidades normais de glóbulos vermelhos e de hemoglobina, são necessários diversos nutrientes, principalmente ferro, mas também outros minerais como zinco, cobre e magnésio, assim como vitaminas A, C, B6, B12 e ácido fólico. Além disso, é absolutamente imprescindível a ingestão adequada de proteínas.
  • Perda de sangue ligada a gastrite ou úlceras gástricas –que podem ser causadas pela bactéria Helicobapter Pylori– ou a tumores no intestino grosso. Por este motivo, é fundamental fazer os exames de rotina prescriptivos e não demorar em fazer os testes de diagnóstico-chave, quando necessário, como a colonoscopia, para detectar qualquer risco. Por outra parte, até mesmo ir ao dentista de forma regular pode ajudar a prevenir uma doença, já que um sangramento constante das gengivas pode desencadear uma doença crônica.

Toma mais ferro

Para prevenir e combater a anemia ferropénica, não pode faltar uma boa dose de ferro na alimentação diária. É importante saber que este nutriente fundamental se apresenta de duas formas:

  1. Ferro heme: Abundante em carnes vermelhas, peixes, vísceras, e em alguns moluscos (mexilhões, ostras, mexilhões). O organismo absorve facilmente.
  2. Ferro não heme: É um componente muito abundante nas leguminosas (grão de bico, lentilha), frutas secas e vegetais de folha verde. Como a sua absorção por parte do nosso organismo só atinge 10%, é recomendável consumir a vez de alimentos ricos em vitamina C (frutas e legumes), que nos ajudam aproveitá-lo melhor.

Certas substâncias diminuem a absorção do ferro não heme, como os taninos do café, o chá e o vinho tinto, o vinagre e a fibra, assim como alguns medicamentos como antiácidos (aliviam os problemas de estômago, mas prejudicam a absorção do ferro).

Para aproveitar melhor o ferro dos alimentos

  • Aumentar o consumo de alimentos ricos em ferro, como carnes e peixes.
  • Aumentar o consumo de alimentos ricos em vitamina C, e levá-los com os alimentos ricos em ferro: por exemplo, tomar um bife de carne junto com salada e de sobremesa uma laranja, ou lentilhas com legumes e, em seguida, fruta.
  • Separar a ingestão de produtos lácteos para as refeições principais que fornecem ferro: não tomar leite depois de comer, mas no lanche da tarde.
  • Evitar o consumo de café e chá com as refeições (lembrar que contêm taninos, que dificultam a absorção de ferro).
  • Evitar o consumo excessivo de fibra.
  • Aumentar o consumo de alimentos ricos em ferro (cereais, leite…).
  • Embora as vísceras são boa fonte de ferro, não convém abusar do seu consumo.

Uma alimentação variada e rica em todos os tipos de nutrientes nos ajuda a desfrutar de uma saúde “de ferro” também, quando chegamos a mais.

Twitter

Amígdalas: Produtoras de defesas

Embora estas glândulas cumprem uma função importante, algumas crianças sofrem amigdalite tantas vezes e com tanta virulência que os médicos optam por extirparlas para evitar complicações.

O que são e quais as funções realizam?

As amígdalas são massa de tecido situadas na faringe, em ambos os lados da garganta. Fazem parte do sistema linfático, um dos principais componentes do sistema imunitário do corpo. Cumprem, portanto, um importante trabalho de defesa:

  1. Geram linfócitos, um tipo de célula que é responsável pela produção de anticorpos. Estes reconhecem os germes patogênicos (vírus, bactérias…) que penetram pelo nariz ou pela boca e desencadeiam uma resposta de defesa de nosso organismo.
  2. Seu papel contra as infecções digestivas e respiratórias é especialmente importante nos primeiros três anos de vida, quando o sistema imunológico da criança ainda está em desenvolvimento. Deste modo, graças às amígdalas temos constante proteção contra várias doenças desde a infância, e também em diante

Quando adoecem…

Ao igual que o resto dos órgãos das vias respiratórias, as próprias amígdalas também podem ser atacadas por vírus e bactérias, causando infecções (amigdalite ou frequente) com sintomas característicos:

  • Inflamação da faringe e dos gânglios do pescoço.
  • Vermelhidão da mucosa da garganta.
  • Febre alta e mal-estar geral.
  • Dor de garganta, principalmente ao engolir.
  • Placas de pus de cor esbranquiçada na garganta, se a infecção é mais importante.

As infecções causadas por bactérias costumam ser mais sérias do que as ocasionadas por vírus. Apenas se há uma cultura de laboratório, é possível distinguir uma amigdalite viral de uma bacteriana. As bactérias se combatem com antibióticos, enquanto que as virais não necessitam de um tratamento específico, apenas sintomático, para aliviar o desconforto.

Quando há que extirparlas? (amigdalectomia)

Geralmente, quando a criança apresenta amigdalite várias a cada ano que produzem episódios de apnéia obstrutiva do sono (ronco que interrompem a respiração enquanto você está dormindo) causada pela inflamação das vias respiratórias.

Trata-Se de uma intervenção com baixo nível de risco que se realiza com anestesia através da boca aberta.

Embora seja menos comum, as amígdalas também são extirpan alguns adultos.

Amigos:

  • Vitamina C para aumentar as defesas.
  • Cachecol ou lenço para se abrigar.
  • Umidificador para as mucosas.

Inimigos:

  • Alimentos muito frios, que irritam a garganta.
  • Mau uso da voz (gritar).
  • Tabaco.

Você sabia que… Depois de uma operação de amígdalas, é normal que sofrem de angina com mais frequência, mas estas infecções costumam ser muito mais leves que as frequente. A retirada não afeta a resposta imunológica, já que o organismo compensa.

Twitter

Azeite de oliva: 100% sabor e saúde

O principal ingrediente da dieta mediterrânea proporciona benefícios cardiovasculares, reduz os níveis de colesterol, contém antioxidantes que retardam o envelhecimento das células, protege de doenças como o cancro, a diabetes, úlceras de estômago ou gastrite crônica, e, além disso, adiciona sabor aos nossos pratos!

Natural cem por cento e sem qualquer tipo de aditivos, conservantes, nem corantes, o azeite de oliva é um alimento funcional de primeira ordem, até o ponto de que seus inúmeros benefícios sobre a saúde contam com um vasto reconhecimento científico.

Elixir saudável

  • O azeite de oliva virgem é a gordura melhor tolerada e mais adequada pelo organismo humano, devido ao perfeito equilíbrio entre os ácidos graxos monoinsaturados e poiinsaturados que impedem a absorção do colesterol “ruim” (LDL) e aumentam o “bom” colesterol (HDL).
  • Esta diminuição do colesterol, por sua vez, previne a aterosclerose e reduz o risco de trombose arterial e infarto.
  • Além disso, é rico em antioxidantes como a vitamina e e pró-vitamina A, que ajudam a retardar o envelhecimento celular. Alguns estudos sugerem que a vitamina E reduz o risco de doenças cardiovasculares, alguns tipos de câncer, catarata e diabetes.
  • Ajuda a diminuir os níveis de glicose e diminui os requerimentos de insulina.
  • Protege a mucosa do estômago e dos intestinos, reduzindo assim o risco de úlceras gástricas.
  • Estimula a vesícula biliar, impedindo a formação de cálculos.
  • Melhora o sistema imunitário, a função cognitiva, a pele e os ossos.

Modera o Consumo

É claro que tomar óleo de oliva virgem é benéfico para a saúde, mas é preciso consumir com moderação, já que cada grama de óleo fornece 9 quilocalorias. O consumo adequado de óleo de oliva, segundo recomendam os especialistas em nutrição e dietética, que é de três colheres de sopa por dia (40 ou 50 gramas), o que representa 15% do valor calórico total da dieta normal (2.200 quilocalorias).

Chame por seu nome

Só existem quatro categorias comerciais de óleo de oliva:

  • Azeite de oliva extra-virgem: É o de máxima qualidade. É obtido diretamente de azeitonas em bom estado unicamente por processos mecânicos. Seu sabor e odor são ótimos e está livre de defeitos. O seu grau de acidez não ultrapassa os 0,8°.
  • Azeite de oliva virgem: O óleo segue os mesmos parâmetros de qualidade que o óleo de oliva extra em relação aos métodos de obtenção. A diferença é que não pode exceder os 2° a acidez. Os defeitos devem ser praticamente imperceptíveis.
  • Azeite de oliva: É uma mistura de azeite refinado e de azeite virgem ou extra-virgem. A sua acidez máxima é de 1º.
  • Óleo de bagaço de oliva: obtém-Se os vestígios que restam da oliva após a extração do azeite de oliva virgem e refinado, com os resíduos de ossos e peles de azeitona. É o óleo de pior qualidade. A sua acidez máxima não é superior a 1,5°.

Na cozinha, aprovéchalo ao máximo

  • No petróleo, o óleo de oliva nos dá íntegras todas as suas propriedades. Empléalo para melhorar o sabor de saladas, legumes cozidos ou assados, molhos, etc.
  • Não se queime. Quando o azeite de oliva virgem alcança 210ºC e começa a liberar uma fumaça branca, significa que foi danificado, alterou a sua estrutura e pode ser prejudicial para a saúde. Por isso, é recomendado cozinhar em fogo médio ou médio-forte para que não ultrapasse os 180 ºC, que é a temperatura ideal de fritura da maioria dos alimentos.
  • Reutilize o óleo apenas para três ou quatro frituras. Se voltar a utilizar demasiadas vezes, torna-se mais viscoso e dos alimentos absorvidos em maior quantidade.
  • Não misture nunca óleo novo e usado, nem o de oliva com outros tipos (girassol, soja, etc), já que resistem diferentes temperaturas e um tipo de óleo queimaria o outro.
  • Filtra o óleo depois de cada fritura para eliminar os possíveis restos de alimentos que tenham flutuado e que favorecem a sua oxidação e decomposição.

Oleoterapia para sua pele

O azeite é um dos ingredientes mais apreciados também em cosméticos. Os sabonetes, géis, emulsões e pomadas à base de óleo de oliva, que melhoram o aspecto da pele, previnem problemas de pele e exercem um efeito rejuvenescedor.

Twitter

Aumento do ponto G, você aumenta o seu prazer!

Você sabia que o prazer sexual pode crescer com uma injeção de ácido hialurônico na zona genital feminina? Conheça aqui como se faz o aumento do ponto G e quais são os riscos.


Aumento do ponto G, Mais prazer sexual


O prazer sexual feminino


Descrito na década de 1950 pelo médico alemão Ernst Grafenberg, o ponto G é pequena área genital na mulher localizada internamente atrás do osso púbico e ao redor da uretra. Trata-Se de uma zona erógena que, depois de ser estimulada, provoca excitação sexual e orgasmos.


Se bem que ainda persiste algum desacordo quanto à definição exata de sua existência, muitas mulheres afirmam que o ponto de Grafenberg é responsável pelos orgasmos que gostam durante o sexo.


Isso tem motivado o desenvolvimento de uma técnica para então crescer e, como consequência, multiplicar o prazer sexual da mulher. Trata-Se de um procedimento chamado aumento do ponto G, que é praticada em clínicas dedicadas ao rejuvenescimento e design vaginal.


Como aumentar o ponto G para recuperar o orgasmo


O procedimento consiste na injeção de ácido hialurônico no ponto G em mulheres que são identificados antes, onde está o “cobiçado” site.


O aumento do ponto G permite fazer esta área mais acessível e, portanto, mais receptivo para gerar satisfação sexual da mulher que tem experimentado orgasmos nas suas relações íntimas, seja através da penetração vaginal ou através da estimulação do clitóris.


Isto significa que não é um procedimento mágico que possa resolver dificuldades orgásmicas (ausência de orgasmo, por exemplo); de fato, os especialistas alertam para as interessadas que se trata de um “auxílio extra” para as pessoas com uma vida sexual normal.


G-Shot, como é realizada?


O ácido hialurônico é uma substância que se encontra de forma natural no nosso corpo, formando parte dos tecidos da pele, cartilagens, líquido sinovial (fluido viscoso presente nas articulações) e células em geral. Considerando a sua importância na recuperação da derme (camada de tecido conjuntivo localizado embaixo da pele), os tratamentos de beleza modernos procuram aproveitá-lo ao máximo dentro de diversos procedimentos estéticos, aplicando-o de forma externa ou através de injeções.


A técnica para aumentar o ponto G com ácido hialurônico é realizado de forma ambulatorial no consultório médico e leva cerca de 30 minutos.


Basicamente inicia quando o paciente identifica a zona erógena; em seguida, é aplicada uma anestesia local e, em seguida, injetaram a substância através da mucosa, o que explica o nome com o qual é conhecido este tratamento em inglês: G-Shot.


Injeção de ácido hialurônico no ponto G


Reinicia a estimulação do ponto G


Depois do processo, recomenda-se que as pacientes ter uma abstinência sexual de 2 ou 3 dias; após este intervalo de tempo, podem começar a ter relações sexuais normalmente.


O efeito do ácido hialurônico, que dura cerca de 8 a 10 meses na mucosa vaginal, e não costuma apresentar complicações.


Especialistas na aplicação desta técnica garantem que não existe uma idade recomendada para submeter-se a ela, ou seja, qualquer mulher com vida sexual ativa pode ser beneficiada.


No entanto, as mulheres que se aproximam da menopausa (cessação da menstruação) tendem a experimentar falta de lubrificação vaginal e, portanto, dor ao manter relações sexuais ou a dificuldade para atingir o orgasmo, por isso não é estranho que faça parte de um dos grupos mais interessados neste processo.


Riscos do aumento do ponto G


O ácido hialurônico tem a propriedade de aumentar o seu tamanho, mil vezes obrigado à captação de água; precisamente este grande poder hidratante e lubrificante é o que se busca aproveitar para “rejuvenescer” a zona erógena feminina.


A substância que é utilizada para este procedimento é um produto aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) nos Estados Unidos; é um gel lubrificante de ácido hialurônico semelhante ao produzido naturalmente pelo organismo, o que permite que este termine absorbiéndolo com o tempo.


No entanto, foi aprovado somente como preenchimento dérmico anti-rugas, isto é, até agora, não foram realizados os estudos necessários para provar a sua utilidade nem a sua segurança em injeções para estimulação do ponto G.


Portanto, o fato de que em algumas mulheres funcionar não significa que funcionará em todas as pacientes com resultados semelhantes, pois cada uma tem características fisiológicas, estilos de vida e comportamentos individuais que possam obstruir o funcionamento do ácido hialurônico.


A FDA afirma claramente que “não foi aprovado, os preenchimentos dérmicos para aumentar o busto ou glúteos, nem para injectar em nenhuma outra parte que não seja o rosto”.


É importante ter em conta esta advertência antes de tomar a decisão de submeter-se a uma bioplastía do ponto G feminino, como também é conhecido este procedimento.


Igualmente, deve-se notar que qualquer pessoa interessada nesta alternativa, deve estar consciente de que não se trata de uma “chave mágica” que abrirá a porta para um mundo de prazer e orgasmos mais frequentes se existem disfunções sexuais na mulher; em todo o caso, devem tratar estes problemas antes de buscar alternativas para aumentar o prazer sexual.


Dificilmente pode-se recorrer ao aumento do ponto G se você não sabe onde ele está localizado no seu corpo dessa zona erógena que pode dar-lhe uma explosão de prazer, nem como estimularla.

Andropausa, o problema do homem maduro

Entre os 45 e 55 anos o homem pode experimentar um fenômeno similar à menopausa feminina, chamada deficiência androgênica na maturidade, popularmente conhecido como andropausa, que consiste na diminuição da produção de testosterona.


Ao contrário da mulher, o homem não experimenta uma mudança drástica em sua fertilidade, à medida que envelhece. Em vez disso, as mudanças no organismo masculino apresentam-se de forma gradual, entre eles: diminuição do desejo sexual, a qualidade da ereção, força muscular e desempenho intelectual, uma vez que aumentam os depósitos de gordura corporal, e há maior possibilidade de fraturas e alterações de humor (irritabilidade, falta de concentração, mau humor e insônia).


Avalia-se a possibilidade de sofrer andropausa através da seguinte calculadora, com base no questionário de sintomas do envelhecimento masculino (AMS, na sigla em inglês). Responda em que grau sofre as seguintes situações:


1.-Diminuição na sua sensação de bem-estar geral.

Nenhuma Ligeira Moderada Grave Muito grave

2.-Dor articular e muscular, principalmente na região lombar, pernas e braços.

Nenhum Ligeira Moderado Grave Muito grave

3.-Episódios repentinos de suor e calor (afrontamentos), independentemente do estresse ou esforço físico.

Nenhum Leves, Moderados, Graves e Muito graves

4.-Dificuldade para conciliar o sono ou permanecer dormindo.

Nenhum Ligeira Moderado Grave Muito grave

5.-Aumento da necessidade de dormir sensação de cansaço.

Nenhum Ligeira Moderado Grave Muito grave

6.-Irritabilidade, agressividade e mau humor.

Nenhum Ligeira Moderado Grave Muito grave

7.-Nervosismo, inquietação, impaciência.

Nenhum Ligeira Moderado Grave Muito grave

8.-Ansiedade e/ou pânico

Nenhum Ligeira Moderado Grave Muito grave

9.-Diminuição geral de seu desempenho, esgotamento físico, desinteresse por atividades de lazer e falta de vitalidade.

Nenhum Ligeira Moderado Grave Muito grave

10.-Diminuição da capacidade muscular.

Nenhuma Ligeira Moderada Grave Muito grave

11.-Depressão, tristeza, ao ponto de choro, desgano, sentimento de inutilidade…

Nenhum Ligeira Moderado Grave Muito grave

12.-Sensação de que o melhor momento de sua vida já passou.

Nenhuma Ligeira Moderada Grave Muito grave

13.-Sentimento de que está acabado e você tocou fundo…

Nenhum Ligeira Moderado Grave Muito grave

14.-Diminuição do crescimento da barba…

Nenhuma Ligeira Moderada Grave Muito grave

15.-Menor frequência e capacidade ao ter relações sexuais…

Nenhuma Ligeira Moderada Grave Muito grave

16.-Diminuição no número de ereções matinais…

Nenhuma Ligeira Moderada Grave Muito grave

17.-Perda do desejo sexual (libido) e falta de prazer ao ter relações…

Nenhuma Ligeira Moderada Grave Muito grave


O resultado deste questionário é apenas referencial e não substitui opinião do especialista. Consulte o seu especialista em vícios para obter um diagnóstico certo ou aprofundar sobre as dúvidas que este formulário pudesse acordá-lo.

Opções de Tratamento de Disfunção Erétil

A impotência sexual não é simplesmente uma parte do envelhecimento, que é obrigado a aceitar. Os homens que sofrem de disfunção erétil têm para considerar várias opções de tratamento para a disfunção erétil, dependendo de qual seja a razão de sua impotência. Quanto antes você se informe sobre as alternativas de tratamento para a disfunção erétil, antes pode voltar a compartilhar e desfrutar os momentos de intimidade com seu parceiro.


https://uploads.bemparana.com.br/upload/image/noticia/1545046478-5c178ae049ee5_images.jpg


Opções de tratamento da impotência sexual


Quando realiza uma consulta para conversar sobre a impotência sexual com seu médico, este lhe explicar as suas opções e ajudá-lo a decidir o que é melhor para a sua situação em particular. Pode sugerir fazer mudanças de estilo de vida, experimentar um tratamento com medicamentos ou a colocação de um implante de pênis.


Mudanças de estilo de vida


As mesmas dicas de estilo de vida saudável que o seu médico lhe tenha estado, recomendando, por anos também podem ajudar a tratar a sua disfunção erétil:



  • Deixar de fumar

  • Reduzir o consumo de álcool

  • Perder peso

  • Fazer exercício com regularidade

  • Reduzir o stress

Estes passos não são uma solução instantânea, mas ajudá-lo a melhorar a sua circulação sanguínea e o funcionamento dos nervos. Isso deve dar-lhe mais energia e, no processo, pode ajudar a reduzir a gravidade de sua impotência.


Se você tiver problemas para manter esses objetivos, peça a seu cônjuge ou a você. Tornar-se mais saudáveis juntos e experimentar coisas novas como um casal pode ser uma excelente experiência de união que vai fortalecer o seu relacionamento.


Tratamento com medicamentos


Quando as mudanças de estilo de vida sozinhos não dão resultados, normalmente, o passo seguinte é o tratamento com medicamentos. Viagra® é o medicamento que é prescrito com mais freqüência para a impotência sexual, mas está longe de ser a única opção, e pode não ser o melhor para você.


Alguns medicamentos, ou melhores suplementos naturais como o Maca X Power são totalmente naturais, e o melhor, sem efeitos colaterais contra a impotência sexual, isso não significa que são eficientes.


O tratamento com medicamentos implica em riscos de efeitos colaterais, como dores de cabeça, dor nas costas, mal-estares estomacais ou sensibilidade nos músculos. Também deve fornecer ao seu médico uma lista de todos os medicamentos que esteja a tomar, incluindo suplementos alimentares.


A Erva de São João, os antibióticos e medicamentos para a pressão arterial são apenas alguns dos muitos medicamentos que podem causar uma interação nociva.


Além das pílulas, você pode usar injeções para tratar a disfunção eréctil. São facilmente gerenciadas, mas podem produzir cicatrizes e ereções dolorosas.


MUSE (alprostadil) é um supositorio uretral, que também é usado para tratar a impotência sexual. Vem em embalagem de alimentos embalados individualmente, que incluem um aplicador de plástico descartável. Os efeitos secundários mais comuns incluem dor no pênis ou testículos, sangramento uretral e sensação de queimação na abertura da uretra.


Bombas de pênis


Também chamadas de dispositivos de constrição, no vácuo, bombas de pênis são dispositivos que se coloca sobre o pênis para levar o sangue para o corpo do pênis. Uma vez que o vácuo produz uma ereção, a banda de retenção desliza para baixo até que a extremidade inferior do pênis, e a bomba é desligada. Pode deixar a banda colocada por até 30 minutos.


As bombas podem ser manuais ou funcionar com baterias. Para evitar uma lesão acidental no pênis, uma bomba de pênis de venda livre deve incluir uma função de “liberação rápida”, que permita uma liberação rápida do vácuo.


Tratamento de impotência sexual com implantes de pênis


Quando outros tratamentos não tenham surtido efeito, um implante de pênis pode ser a solução perfeita. Um implante de pênis é um dispositivo médico que é colocado cirurgicamente no pênis para produzir uma ereção com uma sensação e aspecto natural. Os implantes se adaptam à sua própria anatomia. A sensibilidade e a capacidade de ejacular geralmente não são afetadas, de modo que você pode ter um orgasmo normalmente (a menos que você tenha uma condição médica que impeça isso).


Para obter informações sobre as alternativas para a disfunção eréctil, como o implante de pênis Coloplast Titan®, visite nossa página de Próteses penianas.


Cobertura de seguro para o tratamento da impotência sexual


Cada política é algo diferente, mas a maioria dos provedores de seguro oferecem algum tipo de cobertura para o tratamento da impotência. Os implantes de pênis, por exemplo, são cobertos pela maioria das seguradoras e pela Medicare quando se determina que são medicamente necessários para um homem que não obteve resultados com outras alternativas. O especialista em reembolsos no consultório do urologista também pode ajudá-lo a determinar os detalhes de sua cobertura.

A doença de alzheimer: Fatores de risco

Esta doença neurodegenerativa poderiam ser evitados, em um terço dos casos mantendo a calma, a hipertensão, a obesidade, a diabetes e o tabagismo.

Segundo os últimos dados da Organização Mundial de Saúde, há mais de 50 milhões de pessoas com demência no mundo, e na maioria dos casos, trata-se de doença de Alzheimer. Se não for possível encontrar um tratamento eficaz, prevê-se que em 2050 o total de afetados se triplique, chegando a níveis epidêmicos. Calcula-Se que, nestes momentos, 10% dos maiores de 65 anos e um terço das pessoas que têm 85 anos ou mais sofrem de algum tipo de demência.

A importância de uma vida saudável

A saúde cardiovascular está intimamente relacionada com o controle de determinadas condições médicas, tais como a hipertensão arterial, a diabetes, o colesterol, o tabagismo ou o excesso de peso. Além disso, a comunidade científica insiste cada vez mais em que um coração saudável influencia positivamente a saúde cerebral. Por este motivo, cuidando destes fatores de risco que põem em risco a nossa saúde cardiovascular, estaremos também protegendo o cérebro.

Não devemos negligenciar o nosso estilo de vida. Como explica a doutora Leticia Perez do Tio, neuropsicóloga do Hospital Vithas Nisa Pardo de Aravaca, “fazer exercícios aeróbicos, de contraresistencia e tai-chi”, melhoram não só a nossa saúde cardiovascular, mas cerebral. Evitar o isolamento social e estar ativo mentalmente são aspectos que também contribuem para que o cérebro seja mais resistente a determinadas doenças.

Origem multifatorial

Como explica o doutor José Luis Molinuevo, diretor científico do Programa de Prevenção do mal de Alzheimer que impulsiona a Fundação Pasqual Maragall, “hoje em dia podemos afirmar que há cada vez mais evidências científicas que apontam que a possibilidade de sofrer de demência aumenta ou diminui em função da combinação de diferentes factores de risco”. Além dos chamados “modificáveis”, a que se refere o número anterior, existem outros relacionados com a idade e a genética que não podemos evitar.

Como explicam desde a Fundação Pasqual Maragall, o fator de risco principal para sofrer demência é o envelhecimento. Isso não significa que a demência seja uma consequência inevitável de se tornar maior, mas sim que a soma de anos aumenta a probabilidade de desenvolvê-la. Em relação à genética, apenas em 1% dos casos pode atribuir-se a causa o fato de ser portador de um determinado gene. No restante dos casos, a sua origem é multifatorial, daí a importância de saber quais são os fatores que podem contribuir e que podemos influenciar (hipertensão, diabetes, obesidade, colesterol alto e doenças cardiovasculares).

Novos avanços

A pesquisa da doença de Alzheimer tem vivido, nas últimas décadas, a uma verdadeira mudança de modelo, com a constatação da existência de uma fase preclínica, que se inicia de forma silenciosa entre 15 e 20 anos antes da manifestação dos primeiros sintomas clínicos. “Isso explica por que muitos dos ensaios clínicos realizados até a data tenham fracassado, já que agiu em pacientes nos quais a doença já tinha um longo caminho”, conclui o doutor Jordi Camí, diretor da Fundação Pasqual Maragall.

São muitas as variáveis que entram em jogo diante da possibilidade de sofrer uma demência.

Prevenção

É um aspecto-chave da luta contra o alzheimer. Daí que investigar a fase preclínica é fundamental para saber como se inicia a doença e como evolui para poder desenvolver estratégias e tratamentos de prevenção. Com esta finalidade, a Fundação Pasqual Maragall pôs em marcha o Estudo Alfa, um projecto concebido como uma infra-estrutura de pesquisa para identificar fatores de risco e indicadores biológicos que podem influenciar no desenvolvimento da doença. Neste estudo participam mais de 2.700 voluntários saudáveis e conta com o apoio da Fundação “la Caixa”.

Um estudo pioneiro

A nova Unidade de Pesquisa Clínica na Prevenção da Demência, impulsionada pelo Barcelonabeta Brain Research Center (BBRC), o centro de investigação da Fundação Pasqual Maragall, prevê, além disso, o risco de desenvolver demência a 5
anos vista em pessoas com queixas subjetivas de memória e a base biológica deste risco.

Este plano contará com dicas de prevenção primária para reduzir os fatores de risco modificáveis da doença, e com a possibilidade de participar em estudos específicos de detecção e prevenção da doença de Alzheimer. O estudo, que tem
uma duração de 3 anos, precisa incorporar a 400 voluntários de entre 60 e 80 anos, que estão a sofrer uma diminuição da memória e de outras habilidades cognitivas, mas que não tenham sido diagnosticados de doença de alzheimer.

“A participação neste estudo é uma contribuição inestimável para avançar na descoberta de formas eficazes para prevenir ou retardar a demência”, afirma o doutor José Luis Molinuevo.
Para poder participar deste estudo, há que ter de 60 a 80 anos e não ter sido diagnosticado com algum tipo de demência ou doença importante. Os interessados podem informar-se em www.prevenciondemencia.org e preencher um breve questionário. Os selecionados serão visitados por um neurologista, em Barcelona, e se lhes apresentam uma série de testes cognitivos para calcular o percentual de risco estimado de sofrer de demência nos próximos cinco anos.

O APOE-E4

Trata-Se do nome do gene que confere o risco (genético) mais elevado de sofrer da doença de Alzheimer, segundo um estudo mundial de neuroimagem realizado em pessoas saudáveis portadoras do gene e elaborado pelo centro de pesquisa da Fundação Pasqual Maragall, com o impulso da Fundação “la Caixa”. “As diferenças morfológicas que encontramos estão relacionadas com a doença de Alzheimer, já que se apresentam em áreas cerebrais como o hipocampo, que é a primeira
em sofrer a neurodegeneração”, destaca o doutor Juan Domingo Gispert, chefe de pesquisa do Barcelonabeta.

99% dos casos de Doença de origem multifatorial. Apenas 1% é atribuída a ser portador de um determinado gene.

LETICIA PEREZ DO TIO
Neuropsicóloga do Hospital Vithas Nisa Pardo de Aravaca.
“De acordo com um artigo publicado na revista científica The Lancet Neurology sobre a prevenção da doença de Alzheimer, um terço dos casos em todo o mundo poderiam ser atribuíveis a fatores de risco potencialmente modificáveis.
Além disso, sua incidência pode ser reduzida através de um melhor acesso à educação e a implementação de métodos eficazes para reduzir os fatores de risco vascular (inatividade física, tabagismo, hipertensão, obesidade e diabetes) e depressão”.

Twitter

8 ERVAS que ajudam a emagrecer

As infusões ou decocções de ervas é uma boa ajuda na tarefa de tirar os quilos a mais. Mas só se você seguir uma dieta adequada e faz exercício…



  1. Chá de fucus. O fucus é uma alga de emagrecimento e anti-oxidante. Por seu alto teor em iodo, atua sobre a glândula da tiróide e estimula o metabolismo, pelo que não é recomendada para pessoas com hipertireoidismo. Para prepará-lo, adicione um punhado de algas em litro e meio de hiérvelo 15-20 minutos e cuélalo. Tomar duas xícaras ao dia: uma concentrada em jejum e outra antes de a comida mais forte do dia.

  2. Decocção de bardana. Esta planta contém inulina, uma fi bra que proporciona sensação de saciedade, regula o metabolismo da gordura e depura o organismo. Esta tisana é preparada por decocção, entrando em um litro de água, ferver 20 gramas de raiz de bardana e deixando que cozinhe por cinco minutos. Após retirá-la do fogo, deixe descansar dez minutos, coar e beba 15 minutos antes das refeições e jantares. Pode-Se tomar duas outras copos a meio da manhã e meio da tarde.

  3. Chá de kombucha. É laxante e elimina toxinas, gorduras e colesterol. Para prepará-lo, infusiona um saquinho de chá em três litros de água mineral quente, deita um pote de vidro com três colheres de sopa de açúcar branco, tápalo com um pano de algodão e deixe por 15 dias em um lugar escuro e fresco. Passado esse tempo, cuélalo. Tomar uma xícara no café da manhã e vá aumentando a dose até tomá-lo três vezes ao dia.

  4. Decocção de alcachofra. Para fazê-la, use as partes mais duras e amargas desta planta, que são as que concentram mais princípios ativos. Introduz meio punhado dessas folhas duras, em um litro de água fervente e deixe que cuezan cinco minutos. O ideal é tomar três xícaras por dia, nesta amarga tisana, que endulzaremos de preferência com estévia. A alcachofra ajuda o fígado a metabolizar as gorduras, reduz o colesterol e diminui a tensão arterial.

  5. Infusão e decocção de bétula. Esta árvore mágica para os índios americanos e os nativos da Sibéria e Índia é indicado como diurético e para combater a obesidade e a celulite. A infusão se prepara preenchendo-o com água muito quente, uma xícara com colheres de chá de folhas de bedul. Você também pode preparar a ferver em uma xícara de água uma colher de sopa de brotos de bétula durante quatro minutos.

  6. Infusão de cavalinha. É uma das plantas mais utilizadas pelas pessoas que fazem dietas de emagrecimento por suas propriedades diuréticas e desintoxicantes. A melhor forma de consumi-la é em forma de infusão: para fazê-la você deve derramar um litro de água quente em um recipiente com duas colheres de sopa de rabo de cavalo e deixar repousar a tisana três minutos antes de colarla. Basta tomar um copo por dia para eliminar boa parte dos líquidos retidos.

  7. Tisana de dente-de-leão. Esta planta com propriedades digestivas e Emagrecimento serve para tratar o excesso de ácido úrico, cálculos renais, limpar o fígado e controlar os níveis de colesterol. Infusiona uma colher de chá de suas folhas e flores em uma xícara de água quente e leva esta tisana duas ou três vezes ao dia. Pode combinar-Se com espinheiro-vinheto, absinto, genciana e hortelã em partes iguais.

  8. Infusão de arenaria. Suas qualidades diuréticas a tornam adequada para eliminar os líquidos retidos e depurar o organismo a expelir as toxinas acumuladas. Para obter uma boa infusão, leva-se ao lume um litro de água. Pouco antes de ferver, retire a panela do fogo e despeje nele 25 gramas de flores de arenaria. Deixe repousar cinco minutos e cuélalo. Basta tomar a infusão duas vezes ao dia.

E tu… o infusionas ou cueces?


Infusionas quando… as folhas ou flores, ou seja, as partes mais delicadas da planta, são regadas com água muito quente, para que libertem os seus princípios activos. Nas infusões, a planta não deve ferver na água.


Cueces se… as plantas fervidas em água durante cerca de cinco minutos. Esse procedimento é usado quando se trata de partes duras da planta: raízes, talos ou cascas. Este procedimento também é chamado de decocção.


Por Carlos Macías – Clube De Gente Saudável –

Twitter

15 razões de peso para emagrecer É tempo de dieta!

Você ganhou alguns quilos durante as férias e coloque em cima, é a sua prioridade de rosto no outono? Se é assim, não é mais que reveja suas motivações para fazer dieta: serão muito úteis para lutar contra as tentações. Aqui nós damos-lhe algumas boas razões para colocar mãos à obra.


É a disciplina pendente de muitos. Com o parênteses do verão a deixamos para setembro e agora, entrado já o outono, é hora de aprová-lo. Para não fracassar neste esforço, é bom procurar uma motivação que te encoraja a seguir em frente. Dizem os estudos que a maioria (83%) dos espanhóis, que são conscientes de que devem perder peso, o fariam por saúde; outros, porque os seus quilos a mais afetam o seu equilíbrio emocional (78 por cento), a sua vida sexual (58 por cento) e à procura de trabalho (65 por cento). Qualquer motivação é boa. Vale agarrar-se, por exemplo, a essa ilusão louca que te faria voltar a entrar seus jeans favoritos que há anos que não se fecham; vale também concentrar-se no objetivo de deixar todos de boca aberta na próxima reunião de família. Cada um deve procurar o estímulo que ele funcione e tê-lo bem presente a cada vez que aparecer a tentação (que o fará) de jogar a toalha. Aqui apresentamos-lhe alguns bons motivos para perder quilos, mas se você tem dificuldade para encontrar o seu teste com estes dois exercícios fáceis. Primeiro: dedique alguns minutos por dia para pensar de forma vívida e detalhada, tal como seria com o peso adequado. Desta forma, sua mente te indicará qual será a recompensa que lhe servirá de motivação para o esforço. E segundo: faça exatamente o contrário e imagine o que acontecerá no futuro se você não se compromete a adotar hábitos saudáveis para manter um peso adequado… Quais serão as consequências em sua saúde? E em seus relacionamentos? Quais são os hábitos alimentares você deixa aos seus filhos? Como você se sente? Se você não gosta do que vê, o desejo de mudar, será o teu motor.


1. SIMPLESMENTE, VIVER MAIS


Porque evitará um dos fatores de risco mais importantes para as doenças cardiovasculares, que são, em Portugal, uma das primeiras causas de morte, juntamente com o câncer e as doenças do sistema respiratório. A incidência de hipertensão arterial em adultos com excesso de peso é três vezes maior do que em adultos sem excesso de peso. Além disso, são mais suscetíveis a ter altos níveis de triglicérides no sangue e de colesterol LDL (o mau) e baixos níveis de colesterol HDL (o bom). Em resumidas contas, como consequência de todos esses fatores, se te sobram quilos você terá o triplo de chances de sofrer um infarto ou um acidente vascular cerebral.


2. VOCÊ TERÁ MENOS VOTOS PARA SOFRER UM CÂNCER


A redução de peso leva a uma diminuição das proteínas associadas a angiogénese (isto é, a formação de vasos sanguíneos novos) que requer o tumor para o seu crescimento e proliferação. Pelo contrário, a obesidade e o sobrepeso estão relacionados com um aumento das probabilidades de sofrer vários tipos de câncer, como o de esôfago, cólon, reto, fígado, vesícula biliar, pâncreas e rim, mama e útero. Estima-Se que o adicional de risco de sofrer este tipo de doença é de 50 por cento maior do que em pessoas que têm um peso normal.


3. TENHA UM SONO MELHOR…


Com todas as recompensas que isso implica, pois o sono é essencial para a recuperação física, celular, os mecanismos do nosso sistema imunitário, de memória… Tem, além disso, uma função indispensável para adaptar-se ao ambiente, para restaurar os mecanismos de neurotransmissão cerebral e para equilibrar as emoções. No entanto, os quilos a mais adicionar pressão sobre o coração e os pulmões, que têm mais problemas para respirar e conseguir oxigênio durante o sono. Por isso, é frequente que ocorra a apneia, que é uma interrupção da respiração enquanto dorme. São episódios curtos, mas suficientes para provocar frequentes microdespertares que, ao final, faz com que a arquitetura do sono normal se quebre. Quando os pacientes não conseguem ter um sono profundo e regular, acumula o cansaço e fazem o seu aparecimento, a irritabilidade e a falta de ânimo e energia para enfrentar o dia.


4. …E A PESSOA QUE DORME COM VOCÊ, TAMBÉM


É possível que o seu parceiro também seja mais duradoura e feliz, porque a perda de peso reduz o ronco. Um estudo da Universidade da Flórida, observou que perder três quilos dividia-se quase pela metade o número de apneia por hora e que o emagrecimento mais de 7,5 quilos, o barulho do hábito tendia a desaparecer. Não vale a pena tentar emagrecer para poupar os toques e cliques da noite e as más caras e as injúrias ao acordar?


5. MELHORARÁ A SUA POTÊNCIA SEXUAL


Outra vantagem de se beneficiar sua vida de casal. Três de cada quatro espanhóis consideram que o excesso de peso pode afetar de forma negativa as relações sexuais e não estão errados. Está demonstrado que as pessoas obesas têm um menor número de encontros íntimos. Entre os homens, o principal problema é a disfunção erétil, que aumenta em até 40-50 por cento contra aqueles que têm um peso normal. Os homens com excesso de peso tendem a sofrer uma redução na produção de testosterona, o que afeta a libido e a qualidade da ereção.


6. NÃO SE MACHUCAR TANTO COSTAS


Porque uma das causas mais frequentes de desconforto crônicas é a mochila de quilos extra, que aumenta a carga sobre a coluna e obriga a musculatura a fazer maiores esforços para mover o corpo ou manter as posturas, o que facilita a sua contratura e o aparecimento da dor. O risco aumenta se a isso se acrescenta o sedentarismo, a falta de força muscular, a inatividade física ou o mau estado de saúde geral. Mesmo diante da presença da dor, parece que o corpo pede descanso e evitar esforços para aplacar o desconforto, o aconselhável é estar ativo, exercitar a musculatura para que possa se desenvolver e ganhar força e cumprir as normas de higiene postural.


7. SUAS ARTICULAÇÕES ESTÁRÁN BEM ENGRASADAS POR MAIS TEMPO


Não só as costas e a coluna sofrem o impacto dos quilos, as articulações também o acusam e com o tempo acaba fazendo a sua aparição a artrose, especialmente nas ancas, joelhos e tornozelos. Os estudos indicam que as pessoas com excesso de peso vêem diminuída a sua qualidade de vida e sua capacidade produtiva, de trabalho e familiar, antes de completar os 50 anos.


8. ESQUIVARÁS DIABETES


De todas as doenças graves, diabetes tipo 2, ou diabetes mellitus não seguida é a mais ligada à obesidade e excesso de peso. De fato, o risco de desenvolvê-la aumenta com um Índice de Massa Corporal (IMC) que é muito abaixo do limite de obesidade (IMC de 30), dentro de um simples excesso de peso. Costumava ser exclusiva de adultos, mas agora se dá até mesmo em crianças. A Organização Mundial de Saúde lembra que a diabetes pode causar “sérias complicações”. Com o tempo, a hiperglicemia pode colocar em perigo todos os principais órgãos do corpo e provocar ataques cardíacos, acidentes cérebro-vasculares, neuropatias, insuficiência renal, cegueira e infecções que podem necessitar de amputação.


9. SE OLVIDRÁS DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO


Que não lhe dão trégua e muito menos quando está em posição horizontal. O excesso de gordura na cavidade abdominal aumenta a pressão dentro do estômago, o esfíncter esofágico (uma espécie de anel muscular situado na zona inferior do esôfago) está anormalmente descontraído e permite que o conteúdo ácido do estômago suba, com a consequente sensação de dor, queimação ou ardor na parte superior do abdómen ou no peito. O refluxo é uma doença desagradável que pode prejudicar muito a qualidade de vida.


A DIABETES DE TIPO 2 É UMA DOENÇA GRAVE, MAIS LIGADA À OBESIDADE E EXCESSO DE PESO


10. SUA AUTO-ESTIMA, SUBIRÁ INTEIROS


Dizem os especialistas que essa imagem do gordinho conselho de administração e bienhumorado é um tópico e que, se bem que há pessoas com excesso de peso que não necessariamente têm problemas de auto-estima e para que os quilos a mais não representam qualquer problema e levam uma vida satisfatória e feliz, a realidade é que a baixa auto-estima é uma característica muito comum. Se chega a essa situação através do aglomerado de circunstâncias cotidianas: não poder vestir a roupa que eles gostariam, a impossibilidade de fazer determinadas tarefas, atividades ou esforços, as brincadeiras, olhares ou comentários rudes… vão mermando a capacidade das pessoas para avaliar e sentir-se motivadas e dão lugar a um baixo conceito de si mesmo, contínuos ridículo, culpa, ansiedade e frustração.


11. REACTIVARÁS SUA VIDA SOCIAL


Perder peso e se sentir melhor consigo mesmo, ter um efeito instantâneo no seu relacionamento com os outros. Muitas pessoas evitam determinadas situações para não mostrar o seu corpo (ir para a praia e para a piscina ou para as relações sexuais, por exemplo, porque é onde mais se expõe). Mas, mesmo se você nunca teve complexos, você vai perceber que com menos quilos, poderá participar em novas actividades sociais como as que exigem certo esforço e agilidade física.


12. PODERIA MELHORAR A SUA VIDA DE TRABALHO


E encontrar um emprego se você não o possui. Porque assim somos e assim é o mundo e, entre as muitas discriminações que sofrem aqueles que se saem os cânones estéticos estabelecidos, também têm menos chances de serem os escolhidos em um processo de seleção de pessoal e o dobro de chances de ganhar um salário baixo. Assim o demonstrou um estudo realizado por Slimming World, uma organização britânica dedicada à perda de peso. A análise constatou que os recrutadores homens são especialmente relutantes em contratar uma pessoa com quilos a mais. Um em cada quatro entrevistados disse que rejeitaria a um possível candidato por este fator e um em cada 10 reconheceu ter feito em algum momento. Também a Organização Internacional do Trabalho assegura em seu estudo Igualdade no trabalho: um objetivo que ainda não cumpridas que as pessoas com obesidade têm mais dificuldades para conseguir emprego e vai mais além ao afirmar que, além disso, estas políticas discriminatórias aumentaram nos últimos anos.


13. ASSIM VOCÊ TERÁ MAIS FÁCIL PARA ENCONTRAR O CASAL


Já vimos que os quilos a mais podem representar alguns problemas conjugais (os sexuais podem prejudicar muito a saúde do amor) e que a discriminação é um fato. Os solteiros que querem deixar de estar grávida também não será uma tarefa fácil. Uma pesquisa recente concluiu que 93 por cento dos inquiridos acredita que sofrer de excesso de peso dificulta encontrar um companheiro. Uma elevada percentagem de inquiridos afirmaram, também, que ser gordinho representa um condicionante para a escolha da pessoa com quem compartilhar a sua vida, que tende a ser também alguém com excesso de peso. Por quê? Porque “sentem-se mais confortáveis, seguros e compreendidos” e porque muitas pessoas com peso normal “evitariam” iniciar relações com as pessoas com excesso de peso.


14. VOCÊ TERÁ UM MOTIVO DE DEPRESSÃO MENOS


A falta de aceitação social, a freqüência com que sofrem de exclusão e de rejeição e frustração que geram as tentativas frustradas de perder peso são o terreno abonado sobre o que podem prosperar os distúrbios emocionais, como a ansiedade, os comportamentos compulsivos e a depressão. Isto é particularmente verdade em mulheres jovens, em que se pôde demonstrar uma relação direta: quanto maior o IMC, maior é o grau de depressão. Por outro lado, esses sintomas podem levar a procurar refúgio emocional na comida, o que agrava ainda mais o problema.


15. VER-SE MELHOR, VOCÊ VAI SE SENTIR MAIS BONITA


E isso vai mudar o modo em que você percebe o mundo e a sua maneira de encarar a vida. Para começar, você vai se sentir com forças para fazer mais coisas que você não gosta: deixar de fumar, pôr fim a uma relação que não se satisfaz ou fazer o esforço necessário para se preparar para uma mudança de trabalho. Se você conseguiu perder peso… porque não iria conseguir qualquer outro desafio que deseje?


EM MULHERES JOVENS, QUANTO MAIOR O IMC, MAIOR É O GRAU DE DEPRESSÃO


Por BEATRIZ GARCIA – Clube de Gente Saudável

Twitter

13 falsos Mitos sobre as dietas

A alimentação é um terreno abonado para os falsos mitos. Com a ajuda da ciência e um pouco de bom senso, vamos desmentir as lendas urbanas mais comuns. Qual é a acompanhá-lo?


76 por cento dos espanhóis não está contente com o seu peso. E os que decidem fazer algo para remediá-lo, a maioria o fazem por sua própria conta ou seguindo os conselhos de amigos ou familiares, sem a guia de nenhum especialista. Por isso, coisas como tirar o pão, pular o jantar ou café da manhã ou atiborrarse de produtos light são hábitos que se repetem com frequência e que se perpetuam circulando de boca em boca. O resultado é que oito de cada dez fracassam em sua tentativa. Como dizem Antonio Ortí, Ana Palencia e Raquel Bernacer, autores do livro Comer ou não comer. Mentiras e mitos da alimentação, “quando se fala de emagrecimento, o exótico e o quão caro é melhor avaliado e considerado mais eficaz do que trazer uma simples alimentação equilibrada e atividade física”. Essas são, em suma, as únicas diretrizes que, de verdade, e a longo prazo, funcionam com relação ao peso e à saúde. E isso descarta todas essas idéias arraigadas que esclarecemos a seguir.


1. O pão engorda


É uma das crenças mais difundidas e um dos sacrifícios mais comuns de quem quer manter o peso, de listra. No entanto, eliminá-lo da dieta não está justificado.


Primeiro, porque a energia que proporciona, 258 calorias por cem gramas, é muito razoável. Segundo, porque os especialistas têm estabelecido que uma alimentação saudável e equilibrada requer que a metade das calorias consumidas proveniente de hidratos de carbono. O pão tem de fazer parte de nossa alimentação diária, em terceiro lugar, porque não há um alimento específico que seja o responsável pelo aumento de peso: o que engorda é consumir ao longo do dia mais calorias do que gastamos. Isso sim, tem que ser moderados com essas outras “coisas” que costumam acompanhar o pão, molhos, manteiga, compotas, enchidos…


Você sabia que…? As dietas baixas em hidratos de carbono aumentam o colesterol, ácido úrico e a fadiga, e reduzem a massa muscular.


2. O pão branco engorda mais do que o integral


Os cereais integrais são diferenciados dos refinados em que têm um maior conteúdo de fibra e minerais, mas seu valor energético é praticamente o mesmo. “A diferença é tão ridícula que ninguém deve tomar em consideração: enquanto o pão branco fornece, em média, 258 calorias por cada 100 gramas, o integral traz 229”, escreve Antonio Ortí em Comer ou não comer. Se os especialistas em nutrição recomendam consumir alimentos integrais (pão, massas, arroz…) é porque fornecem mais nutrientes, minerais e vitaminas. Além disso, a fibra é saciante e pode ajudar no controle do peso, porque evita comer mais quantidade de outros alimentos. Também regula o trânsito intestinal e evita os picos glucémicos.


Você sabia que…? Os pães multicereales nem sempre são integrais e a cor escura também não indica que seja integral.


3. O pão torrado é o que menos calorias traz


Em muitas dietas de emagrecimento recomendam substituir o pão normal por biscotes. O motivo não é que engorda menos; o pão é pão e tem os mesmos nutrientes e calorias, mesmo que tenha passado pelo forno. Mas, acreditando desta forma é mais fácil controlar a quantidade que se consome e, além disso, por ter uma textura mais consistente, obriga-se a mastigar por mais tempo, o que proporciona uma maior sensação de saciedade. Também não é verdade que a migalha engorda mais que a casca. Há quem a retira pensando que se está desfazendo a parte mais calórica, mas não era nada disso. Casca e miolo são feitos com a mesma mistura de farinha, água e fermento, mas a segunda tem mais água do que a casca, daí a sua textura.


Você sabia que…? Quando tosta o pão, quebram as cadeias de amido, o que o torna mais leve e digerível.


4. Misturar carboidratos e proteínas é nocivo


Definitivamente, não. Essa é a teoria em que se baseiam as dietas “dissociados”, mas seus argumentos não têm base científica. Defendem que os alimentos, que não contribuem para o aumento de peso, por si mesmos, nem as calorias que contribuem, mas quando consumidos em determinadas combinações. Estas dietas consistem em não misturar na mesma refeição alimentos ricos em carboidratos (cereais, massas, batatas, pão…), com alimentos proteicos (carne, peixe, ovos…) porque o organismo não digere bem essa combinação de produtos e, em consequência, engordamos.


No entanto, o aparelho digestivo é capaz de digerir, sem distinções, e não há que dar crédito a essas crenças.


Você sabia que…? Não existem alimentos que podem ser classificadas cem por cento em um grupo; todos eles trazem diversos nutrientes.


5. Os hidratos de carbono há que evitá-los por noite


“Não há que tomar hidratos além das seis da tarde”, diz, como se essa máxima resumiera o segredo de um corpo esbelto. Este mito vem de antigo, quando se pensava que os hidratos de carbono, uma fonte de energia (glicogênio) e por ser o jantar é a última refeição do dia, essa energia não usada e, por isso depósito acumularia em forma de gordura. Mas o gasto de energia durante o sono não é muito diferente da taxa metabólica basal durante o dia, como aponta um estudo da European Journal of Clinical Nutrition. Aparentemente, durante a primeira metade do sonho da taxa metabólica basal é reduzido em 35%, mas cresce durante a segunda metade, fazendo com que o metabolismo durante o sono e a vigília são quase iguais.


Você sabia que…? Consumir carboidratos à noite produz uma maior oxidação das reservas de gordura durante o dia.


6. O “light” do emagrecimento


Para que um alimento seja rotulado como light basta que tenha reduzido em 30% o número de calorias em relação ao produto normal. É dizer, ainda conserva a 70%. Mas esse marchamo funciona no nosso cérebro como um salvo-conduto que nos permite ir além da fronteira do que realmente é e servir dose dupla. A conclusão é fácil de tirar: no final, acabamos consumindo mais calorias do que se tivéssemos comido com moderação o produto em sua versão normal. Além disso, é evidente que muitos produtos continuam a ser altamente calóricos, pois, parte de seus ingredientes são gorduras essenciais para dar-lhes o seu sabor e textura: nunca uma maionese ou um patê, por exemplo, por mais light que sejam, são uma opção mais saudável que muitos alimentos light.


Você sabia que…? Que um produto seja light não significa que não esteja preparado com gorduras pouco saudáveis, como as trans.


7. Tomar a fruta como sobremesa engorda


Falso. Ou, ao menos, não há mais que se tomadas em outro momento. Há frutas pouco calóricas (como a melancia, que traz 15 calorias por cada cem gramas) e outras que trazem até 385, como o coco. Mas uma vírgula a vírgula, sempre te trará as mesmas, independentemente da hora do dia. No entanto, a fruta é um alimento rico em fibras; por isso, certas dietas de controle de peso recomendam comer antes das refeições, devido ao seu elevado poder saciante. Por outro lado, existem algumas frutas que têm de pior fama, como a banana e o abacate e, no entanto, consumidas com moderação ajudam a manter o peso, precisamente porque deixam aquela sensação de estar cheio, mantêm os níveis de açúcar estáveis e nos enche de energia.


Você sabia que…? O banana está livre de gorduras e fornece vitamina A, vitamina B6, ácido fólico, potássio e magnésio.


8. Todas as gorduras são más


Não todas. E algumas delas devem estar em sua dieta diária, mesmo que esteja em regime. Dito de outra maneira, as gorduras boas que existem: são as chamadas “gorduras insaturadas”, que são encontrados em abundância em peixes ricos em Omega 3, em frutos secos, legumes, óleo de girassol (rico em Omega 6), azeite de oliva (rico em Ômega 9), azeitonas, abacates… Fornecem 9 kcal por grama, como as gorduras ruins, mas são imprescindíveis para manter níveis saudáveis de vitaminas lipossolúveis como a, D, E, K e A. Para prevenir desde doenças metabólicas, doenças cardiovasculares e até a obesidade, a OMS estabelece que as gorduras representem entre 15 a 30% da ingestão calórica diária. O ideal seria que a maior parte fossem boas e reduzir ao máximo as más, principalmente as trans (nunca mais do que 1%).


Você sabia que…? As boas gorduras favorecem reações metabólicas que são importantes para os hormônios e o cérebro.


9. Pular alguma refeição faz com que adelgaces mais rápido


Não só não ajuda, mas que pode conduzir a ganhar peso. Pular refeições faz com que seu organismo se prepare diante de um “período de necessidade” e tenda a acumular gordura para continuar funcionando. Desta forma, o único que se consegue é um desgaste muscular e retardar o metabolismo, que é o encarregado de queimar as gorduras que nos sobram. Por isso, o melhor é fazer várias refeições distribuídas ao longo do dia, porque quando o corpo acostumar a fazer pequenas refeições a cada três ou quatro horas, o metabolismo se mantém ativo e continua queimando gordura. Além disso, as digestões são muito mais leves e evitar a acumulação de gases e dor abdominal.


Você sabia que…? O jantar tem que ser leve, e você deve fazê-la de duas horas antes de ir para a cama, mas não deve saltártela jamais.


10. Existem alimentos bons e ruins para emagrecer


Não há nenhum alimento é completo e perfeito, nem há um alimento prejudicial. O conjunto e a variedade são os que determinam que exista uma dieta saudável e equilibrada. O correto é estabelecer as proporções concretas no consumo de alimentos que permitem manter um peso adequado, mas garantindo uma boa situação nutricional. Assim que convém se livrar o quanto antes da idéia de que existem alimentos emagrecimento. É falso. Todos os alimentos fornecem calorias e nenhum é “quemagrasa”. No entanto, há alguns que se deram em chamar alimentos de “calorias negativas”, como algumas frutas e legumes, que recebem este nome porque o corpo gasta mais calorias no digerirlos que as que nos dão.


Você sabia que…? Nenhum alimento causa efeito sobre a gordura acumulada no corpo; é dizer, não há nenhum “queimador de gordura”.


11. Beber água durante as refeições engorda


A água não contém proteínas, gorduras, hidratos de carbono ou fibra. Por isso, o aporte energético é nulo: zero calorias. Beber não produz um excesso de depósitos de gordura e não confere, portanto, maior risco de obesidade ou excesso de peso; nem antes, nem depois, nem durante as refeições. No entanto, uma vez mais, são as dietas dissociadas das culpados de difundir falsos paradigmas: proíbem beber água enquanto se come, especialmente se se trata de hidratos de carbono, garantindo que isso faz com que batatas, arroz ou pão engorden mais. Mas é uma evidência de que a água não aumenta o valor calórico de um alimento, explicam os autores de Comer ou não comer. Mas, olho, mesmo que não engorda, nem emagrece.


Você sabia que…? Os alimentos com alto teor de água (sopas, purês, frutas…) são ideais em dietas de baixa caloria.


12. Quanto mais durma, mais gordo te porás


Pode parecer lógico: quanto mais horas durma, queimar menos calorias e, portanto, mais gordura você acumulará. Mas a realidade é mais bem o contrário. Aqueles que dormem menos de 5 ou 6 horas por noite ganham, com o tempo, mais peso do que os que dormem 7 ou 8 horas, conforme a Sociedade brasileira de Endocrinologia e Nutrição (SEEN). Aparentemente, muito pouco sono perturba alguns hormônios que regulam o apetite. Por um lado aumenta a produção de grelina, a hormona que regula a sensação de fome e, por outro, diminui o trabalho da leptina, cuja missão é enviar sinais de saciedade ao cérebro. Este duplo efeito favoreceria a ocorrência do excesso de peso em pessoas com falta de sono.


Você sabia que…? Os obesos, de acordo com a SEEN, deverão fazer um perfil de sono antes de empreender outros tratamentos.


13. Os frutos secos só contribuem com calorias vazias


Amêndoas, avelãs, nozes e outros frutos secos arrastam dois estigmatizados: que causam acne e que engordam. Se pensa isso porque, como são ricos em gordura e temos gravado a fogo na mente que as gorduras engordam muito, “por mais que se tenha demonstrado que engordam menos que os açúcares e as gorduras insaturadas (presentes nos frutos secos) queimam-se melhor do que as saturadas”, explica o doutor Emilio Ros, responsável pela Unidade de Lipídios do Hospital Clínic de Barcelona. Diz-se também que os frutos secos trazem _calorías vacías_ (muita energia e pouco valor nutricional, como o álcool ou as guloseimas), mas não é verdade, porque os frutos secos contêm proteínas, gorduras cardiosaludables, fibras, vitaminas, minerais…


Você sabia que…? Os frutos secos fornecem ácidos graxos, dos tipos ômega 3 e Ômega 6, que protegem de doenças.


Por Beatriz Garcia – Clube De Gente Saudável –

Twitter

12 chaves para não deixar a dieta

Refeições pesadas, os doces, esse pouquinho de álcool… O Natal sempre deixando atrás de si um rosário de quilos que em janeiro precisamos eliminar. Com essas doze dicas, tenha certeza de que a dieta se você quer mais suportável…



  1. Seja realista: Estabeleça metas atingíveis e não queira realizar em um mês as medidas de Gisele Bündchen. Proponte comer de forma saudável e praticar exercícios três vezes por semana. Ao princípio, com isso será mais do que suficiente.

  2. Aprenda a dizer “não, obrigado”: Não se vírgulas um pedaço de torta ou se atingir uma copiosa refeição só porque é mais confortável que seja _no_. Se você não quer algo que te vai fazer ganhar peso, aprenda a rejeitá-lo de forma elegante e cortês.

  3. Reduz as porções de alimentos: Tente usar os pratos mais pequenos que tem na cozinha. Ou, melhor ainda, tem apenas pequenos pratos disponíveis para comer. É um modo fácil de regular a quantidade de alimento que você vai ingerir.

  4. Dorme oito horas: Dormir é o modo perfeito, que têm os preguiçosos de perder peso. Quando você dorme, não come e, em cima, regular na competição hormônio do apetite. Não perca a oportunidade de dormir oito horas por noite.

  5. Baixa o ritmo: Comer não é uma corrida. Se você comer muito rápido, o corpo não vai fazer uma boa digestão e acabar ganhando peso. Mastiga a comida e dê tempo ao cérebro para que envie o sinal de que está saciado.

  6. Faça a compra sem fome: Não vá ao super da hora da refeição. Se não te resta mais remédio, come alguma coisa antes. Assim você evitará comprar com os olhos e dar ao carrinho produtos pouco adequados para uma dieta.

  7. Torne-se um animal de estimação: Os donos de animais de estimação têm menos stress do que aqueles que não as têm. E menos stress significa mais saúde. Um animal de estimação, mesmo que seja caseira, vai forçá-lo a mover-se e a estar em forma.

  8. Date alguns gostos: O mais difícil de uma dieta é impedi-lo de tudo o que você gosta. Mas, se o regime é muito restrito, é fácil acabar abandonando-o. O melhor é dar-lhe pequenos caprichos. Mas pequenos!

  9. Limpar, como ir ao ginásio: O tempo que dedica a limpar sua casa, você pode aproveitar como um minientrenamiento. Tenta manter uma boa postura e o abdômen contraído. Assim, aproveite todo o tempo das tarefas domésticas.

  10. Não se peses o sábado: Se o fizer e tiver perdido peso, você vai se sentir justifi cada para poder passar. E isso é contraproducente porque a segunda-feira você terá que começar de novo do zero. Pésate melhor durante a semana, em jejum e sempre à mesma hora.

  11. Ative sua mente: Pensar, ler, resolver um puzzle ou fazer sudoku são exercícios para o cérebro e também queimam calorias. Qualquer uma destas opções é melhor do que jogá-lo no sofá a ver a televisióncon o encefalograma plano.

  12. Aqueça apenas o que é certo: O aquecimento faz com que o nosso corpo para lutar menos contra as mudanças de temperatura e não gaste calorias nessa tarefa. Se você deseja emagrecer, o melhor é que não se sim, muito ou abuses de aquecimento no inverno.

… A água que bebe. Beber pouco faz com que o cérebro pense que você está com fome, quando o que tem o corpo é sede. Você deve beber dois litros de água por dia. Com isso e comer frutas e legumes, evitar o inchaço abdominal.


… O açúcar. E não só o que se despeje o café. Em alimentos processados, especialmente em refrigerantes, sobremesas, sorvetes (e até em produtos light) há muito açúcar oculto que pode sabotar a sua dieta.


… Os alimentos _light_. Que um produto seja light não signifi ca que não engorda. A redução de calorias desses produtos rodada, no máximo, 30 por cento, mas consumi-los em excesso faz com que a redução de calorias não se aprecie.


CONTRA O STRESS, ESPORTE: Se você sofre de ansiedade, visitar a geladeira para acalmar é uma má idéia.


Substitui esses passeios pelo exercício físico, o melhor aliado para liberar o estresse e as tensões.

Twitter

10 armadilhas do verão Não caia neles!

Nós Podemos desfrutar em todos os sentidos esta maravilhosa época do ano com mais saúde, se somos conscientes dos pequenos (ou grandes!) erros que nos permitimos cometer e que alteram a nossa alimentação, o peso e até o nosso descanso.


Para muitos espanhóis, pensar em “verão” é pensar em “relaxamento”. por fim, fica aqui a ansiada época do ano em que os mais afortunados, ao menos durante alguns dias, podem diminuir o ritmo, parar de ser tão brincos, relógio e desfrutar à vontade de tudo aquilo que mais gosta, mesmo que tenham agitação em casa ou fora dela: boas refeições, sol ou fresquito ao ar livre… porque o verão está feito para desfrutá-lo ao máximo, é claro, nós o ganhamos! mas, isto significa que possamos “relaxar” também os bons costumes, nessas pequenas rotinas a que não damos importância, mas que são a base de nossa saúde durante todo o ano?


O senso comum nos diz que não. mas o fato é que somos humanos, e ninguém se libra –de maneira mais ou menos consciente– de cometer certos erros nos meses de verão que pensamos sem grande importância, porque nos permitimos que os meses de maior asueto, mas que está comprovado que podem alterar ou prejudicar muito a nossa saúde, especialmente na forma de quilos a mais (em Portugal engorda cerca de cinco quilos de média no verão), distúrbios do sono, que são difíceis de corrigir e, em suma, mais dificuldade para recuperar a rotina quando temos que voltar para ela.



ARMADILHA 1: “Eu minto e eu levanto quando me apetece”


Em portugal temos a tendência de nos deitar muito tarde aos fins-de-semana, e mudamos o costume dos dias de férias ou de veraneio se nada nos obriga a acordar cedo no dia seguinte. Aproveitando o agradável e fresco das noites de verão, as tertúlias de “sobrecena” podem durar até altas horas da madrugada. A consequência de trasnochar de forma habitual acaba sendo –como não– levantar-se mais tarde, ou fazê-lo com teias de aranha nos olhos e ir acumulando pesadas horas de sono que nos impedem de prestar convenientemente.


Com esta alteração dos horários de descanso nocturno estamos forçando o nosso “relógio biológico” (os chamados ritmos circadianos), que marcha ao compasso das necessidades do nosso organismo e que regula processos tão importantes como a atividade e o repouso, a digestão, o metabolismo ou a produção hormonal.


Esse relógio interno, que durante o resto do ano se mantém sincronizado com as nossas rotinas, se destrói, se mudarmos radicalmente de horários de descanso no verão. Forçando o corpo a se adaptar a este novo desordem, será muito complicado que, quando temos que voltar nossos horários habituais de ir dormir e acordar, o fazemos sem ter que lidar com a sonolência e a fadiga mental durante todo o dia. em suma, estamos abrindo a porta para todo o tipo de distúrbios do sono do que pode ser complicado recuperar, podendo ser inclusive necessária a ajuda do médico, em alguns casos, para voltar a obter um descanso reparador.


Os desencontros entre sono e vigília também favorecem o aparecimento de alterações hormonais que podem levar a um aumento de peso e induzir o nosso organismo a uma situação de estresse permanente. O cortisol é o principal hormônio envolvido neste processo.


Nosso conselho:



  • No verão, deite-se, habitualmente, à mesma hora de sempre. Deixa a televisão e o rádio para outros momentos do dia, já que impedem a conciliar o sono.

  • Dorme com a cortina ligeiramente levantada para que entre a luz no quarto. Quando amanhece, se despejarás pouco a pouco e é mais fácil levantar uma hora mais cedo.

ARMADILHA 2: “a Minha sesta não a perdoo”


Há quem garante que não há maior prazer no verão que repousar uma boa refeição à sombra de uma frondosa árvore. E é que a prática do “saudável vício” de fazer a sesta, para o comum dos mortais é possível quase exclusivamente durante o veraneio e, quando muito, aos fins-de-semana, se não há muito o que fazer. A sesta realmente saudável é aquela que não ultrapassa os trinta minutos, mas não são poucos os adeptos das sonecas de uma hora… e pico.


Tal como dizem os médicos especialistas em distúrbios do sono, dormir mais de meia hora, todas as tardes, em vez de nos ajudar a lidar com o que resta do dia mais claro e com mais energia, na verdade, repercute de forma negativa no nosso desempenho físico e mental, com consequências como dor de cabeça, fadiga e dificuldade para conciliar o sono à noite.


Nosso conselho:



  • Para dar uma soneca, o ideal é uma cadeira ou poltrona confortável. Deixe a cama para a noite e conquistar a tentação de ficar dormindo mais tempo.

  • Não resta outra: ponte para o despertador. Se é que você não pode evitar cair nesse sono profundo.

ARMADILHA 3: “A água, para os patos”


A elevada temperatura ambiental faz com que o corpo elimine uma grande quantidade de líquido através da transpiração, e, mais ainda, se estamos fazendo exercício físico. A sede é sinal inequívoco de que precisamos rehidratarnos, e há que fazer caso desse sinal de alarme, mas nem todas as bebidas que temos ao nosso alcance satisfaçam de igual modo, com essa função. mas o que mais não quiser seja a cerveja ou o tinto de verão bem fresquitos, há que ter em conta que qualquer bebida alcoólica contribui ainda mais para a desidratação, uma vez que o álcool tem ação diurética, o que favorece uma excessiva perda de líquido e eletrólitos através da urina.


Não nos esqueçamos, também, que o consumo máximo diário recomendado de álcool é de dois copos para os homens e um para mulheres. Também os refrigerantes e sumos industriais com açúcar são o melhor para matar a sede, uma vez que fornecem uma grande quantidade de calorias vazias, como o álcool, e ao ser doces, nós precisamos beber mais quantidade para tirar a sede.


Nosso conselho:



  • Desligue sua sede acima de tudo com água no verão. O resto de bebidas, só para ocasiões especiais.

  • A temperatura também é importante: se você estiver muito frio, o organismo assimila a pior, e se estamos muito acalorados corremos o risco de sofrer um corte de digestão.

ARMADILHA 4: “Eu como quando estou com fome”


Os pesquisadores observaram que a atividade de algumas enzimas que controlam o acúmulo de gordura no organismo humano é mais eficaz nas horas das refeições, e que se come em um horário diferente, a gordura tende a acumular-se em outros tecidos, como o fígado ou do coração, podendo causar alterações metabólicas graves. alterar caprichosamente no verão, os horários das refeições implica, a exemplo do que ocorre com os ritmos do sono, que se alterem os processos relacionados com a digestão e o metabolismo, cujo um desequilíbrio está relacionado com a obesidade e outros distúrbios intestinais e metabólicas.


Nosso conselho:



  • Mantenha horários regulares de pequeno-almoço, almoço e jantar, embora sejam diferentes do resto do ano. Seu apetite se adapta facilmente a essas horas, leva apenas um par de dias.

  • Aficiónate aos alimentos leves (saladas variadas, gazpachos, carnes e peixes grelhados…). Serão mais apetecíveis e digeríveis no verão que os pratos muito gordurosos e calóricos.

ARMADILHA 5: “Cada jantar é uma festa”


Quando o calor aperta no verão, a vontade de comer tendem a diminuir. é por isso que muitas pessoas a comer pouco durante o dia, mas à noite se dão grandes compulsão para saciar a fome que foram se acumulando ao longo da jornada. No entanto, nosso aporte energético deve diminuir progressivamente ao longo do dia. Se durante o dia temos que consumir maiores quantidades de hidratos de carbono e uma quantidade adequada de gorduras para obter energia deles, à noite, há que dar prioridade ao consumo de proteínas, que nos fornecem os elementos fundamentais para reparar os tecidos.


Nosso conselho:



  • Faça jantares mais leves. As churrasco, frituras e pratos mais pesados, melhor para a refeição principal.

  • Adianta-se a hora do jantar. Ir para a cama com a barriga cheia é um pesadelo para o seu estômago, especialmente se você tiver comido muito.

ARMADILHA Nº6: “E se saímos para comer qualquer coisa?”


O costume tão espanhola de sair de tapas (e canas), que se pratica no verão com especial prazer, é uma armadilha que se traduz em quilos a mais, principalmente se não nos podemos contentar com um lanche leve.


O aperitivo do meio-dia e a meia-noite quase se podem considerar refeições completas, mas normalmente os tomamos como aperitivo ou entrada do almoço ou do jantar, que vem depois. Em consequência, estamos acumulando uma grande quantidade de calorias que dificilmente vamos queimar com a nossa actividade normal, por isso é fácil que se traduzam, a médio prazo, em vários quilos de sobra.


É claro que, de vez em quando, é divertido fazer um almoço ou jantar casual à base de tapas na nossa esplanada preferida (ou por que não até mesmo em casa?), mas é menos conveniente fazê-lo quase diariamente. a factura costuma sair muito cara, e não só em dinheiro, mas que também é paga na forma de um punhado de quilos a mais na balança.


Nosso conselho:



  • Se espadas algo, que seja o mais leve possível. Evita os fritos (especialmente se são rebozados), molhos pesados, a maionese e tudo aquilo que você sabe que engorda.

  • A bebida com a acompanhá-lo o lanche terá menos calorias, se é “sem” (sem álcool e sem açúcar).

ARMADILHA 7: “é Sempre um bom momento para um sorvete”


São a sobremesa favorita das crianças, mas poucos adultos resistem a desfrutar no verão do que um delicioso sorvete, e a qualquer momento, nos parece ideal para degustá-lo. Há tantos sabores, cores e variedades, a qual mais apetitoso, que é difícil não querer julgá-los todos. Caímos nesta armadilha, crendo que os sorvetes artesanais elaborados com leite ou de creme, assim como os shakes “naturais” que se preparam com eles, eles são saudáveis, porque eles são feitos com leite. é certo que são muito nutritivos, mas, ao mesmo tempo, engordam mais do que esperamos, já que contêm elevadas quantidades de gorduras saturadas e açúcar.


Nosso conselho:


Elígelos bem. Se você comprar sorvete no supermercado, verifique no rótulo a quantidade de gordura e açúcar que contêm.
Modera sempre a quantidade, especialmente se os tiros de sobremesa, para não adicionar muitas calorias extras.


ARMADILHA N ° 8: “Outra vez esqueci a pílula!”


Mudar de ares e rotinas no verão tem efeitos realmente positivos na saúde, tanto que muitas moléstias e dores com as quais convivemos no resto do ano, parecem nos dar uma trégua estes dias. é fácil cair na armadilha de pensar que não há necessidade de tomar a medicação, se nos encontramos melhor e não temos sintomas.


Na verdade, dar “férias” aos medicamentos produz um grande aumento das internações e das consultas de urgência, sobretudo em pessoas com doenças crônicas, e não só no verão, mas também nos meses seguintes. Igualmente prejudicial é tomar a medicação só quando lembramo-nos, sem respeitar o padrão que nos deu o médico, pois todo tratamento requer continuidade, para evitar o agravamento das doenças.


Nosso conselho:



  • Tome a sua medicação sempre em um lugar visível e intégrala em sua rotina diária. Por exemplo, coloque-a ao lado do seu copo cada vez que você colocar a mesa para tomártela quanto você se sente para comer, ou coloque-o junto à escova de dentes para tomar antes de deitar.

  • Leve os seus medicamentos na bagagem de mão a cada vez que viajar, para poder levá-la em qualquer momento que precisar.

ARMADILHA Nº9: “Que preguiça de fazer exercício…”


O Descanso é para ti sinônimo de passar o dia na cadeira à mesa, e de volta para a espreguiçadeira? Nos dias de férias do verão geladas tanto que nos esquecemos de que você tem que fazer um pouco de exercício todos os dias. A época de verão oferece a oportunidade de fazer atividades que talvez nós não podemos o resto do ano: dar um passeio pela praia ou montanha, desportos de praia, brincar ao ar livre com os mais pequenos da família. (…) esta atividade física leve é capaz de recarregar as baterias mais desgastadas, nos ayudaa gastar energia, a conservar em boa forma os músculos e articulações, bem como a manter um peso saudável e a dormir melhor.


Nosso conselho:



  • O calor não é desculpa. Aproveite as horas mais frescas do dia (a primeira hora da manhã ou após o jantar) para movimentar um pouco.

  • Pede a alguém que te acompanhe se você não gosta de fazer exercício no solo. Se custa muito menos e rendirás muito mais.

ARMADILHA 10: “e Eu, finalmente, de tudo, tudo, tudo”


Há que aproveitar qualquer momento de tranquilidade no verão para dormir ou simplesmente para não fazer nada, porque é a melhor maneira que lhes acontece de se desligar da agitação do dia a dia. Mas a verdade é que estar relaxados no verão não significa, necessariamente, desligar a mente. esta é uma época perfeita para ler. a leitura é um excelente exercício mental que ajuda a manter as nossas capacidades intelectuais, enriquece a nossa linguagem e estimula nossa imaginação.


Se você dar uma olhada em qualquer livraria, de certeza que há mais de um livro que te interessa. Você também pode aproveitar para se manter a par do que se passa no mundo lendo a imprensa. E, se divertem, os passatempos, você vai verificar que, se resolve poucos a cada dia, sua agilidade mental e a sua memória melhoram pouco a pouco.


Nosso conselho:



  • Sei constante. Reserve todos os dias um tempo para ler, em momentos descontraídos. Não pode deixar de fazê-lo.

  • Partilhe a sua leitura. O hábito de ler é o melhor que você pode transmitir para os seus filhos e netos.
Twitter